• Tel.: (11) 3256-0894 | 0800 - 113140 Whatzap 9 7803-2758
  • Atendimento: 9h00 às 17h00
  • Endereço: Av. Jabaquara, 301 - Sobreloja - Cep 04045-000- Mirandópolis - SP

Cães de Guarda

Cães de Guarda

  • Fonte: ...
  • Data: 25/06/2014

Cães de Guarda (Padrão de Raças - Grupo 3)

Esse grupo apresenta cães com tipos mais heterogêneos mas todos com a função de guarda e defesa. Há cães que originalmente eram usados como combatentes em linhas de batalhas e como guardiões de rebanhos.
Diferente do que se pensa, um bom cão de guarda deve ter o temperamento estável e só agredir se seu dono ou território forem ameaçados. O treinamento visa valorizar essa estabilidade de temperamento e não gerar cães extremamente agressivos. Proprietários responsáveis fazem isso.

 

 AKITA

 

 

Padrão Oficial do Akita

 

Aparência geral

Grande, poderoso, alerta, com muita substância e ossatura pesada. A cabeça larga forma um triângulo rombudo, com focinho profundo, olhos pequenos e orelhas eretas portadas para a frente em linha com a parte de trás do pescoço é característica da raça. A cauda grande e enrolada, em harmonia com a cabeça larga, também é característica da raça.

Cabeça

Pesada porém em harmonia com o corpo; livre de rugas quando em repouso. Crânio achatado entre as orelhas e largo; maxilas quadradas e poderosas com um mínimo de barbela. A cabeça, quando vista de cima, forma um triângulo rombudo.

FALTAS - Cabeça estreita ou afilada.

Focinho 

Largo e cheio. A distância do nariz ao stop está para a distância do stop ao occipital como 2 para 3. Stop- Bem definido mas não muito abrupto . Um sulco raso se estende bem para cima na testa.

Nariz 

Largo e preto. Em AKITAS brancos fígado permitido, porém o preto é sempre preferível.

DESQUALIFICAÇÃO - Nariz manchado de rosa (nariz borboleta) ou com falta total de pigmentação. 

Orelhas

As orelhas do AKITA são características da raça. Elas são fortemente eretas e pequenas em relação ao resto da cabeça. Se a orelha é dobrada para a frente para que se meça o comprimento, a ponta deverá tocar a pálpebra superior. As orelhas são triangulares levemente arredondadas na ponta, largas na base inseridas na cabeça afastadas, mas não muito baixas, e portadas ligeiramente para a frente por sobre os olhos, em linha com a parte de trás do pescoço. 

DESQUALIFICAÇÃO - Orelhas caídas ou quebradas.

Olhos

Marrons-escuros, pequenos, de inserção profunda e formato trian¬gular. Bordos das pálpebras pretos e aderentes.

Lábios e Língua

Lábios pretos e não pendentes. Língua cor de rosa.

Dentes

Fortes, mordedura em tesoura  preferível, porém mordedura em torquês é aceitável.

DESQUALIFICAÇÃO - Prognatismo ou retrognatismo visíveis.

 Pescoço e Corpo

Pescoço - Grosso e musculoso, comparativamente curto, alargando-se gradualmente em direção aos ombros. Uma crina pronunciada misturando-se na base do crânio.

Corpo - Nos machos mais comprido do que alto como 10 está para 9; nas fêmeas 11 para 9. Peito largo e profundo; a profundidade do tórax é a metade da altura do cão na cernelha. Costelas bem arqueadas., esterno bem desenvolvido.  Linha superior em nível com lombo fortemente musculoso e moderado esgalgamento. Pele flexível porém não solta.

FALTAS SÉRIAS - Ossatura leve, corpo alto, magro e de pernas longas.

 Cauda

Grande e cheia, inserida alta e portada sobre a  linha superior ou contra os flancos. Em uma rosca de três quartos, completa, ou dupla sempre mergulhada sobre, ou abaixo do nível da linha supe-rior. Em uma rosca de três quartos a ponta cai bem abaixo no flanco. Raiz grande e forte. Quando desenrolada o osso da ponta da cauda alcança o jarrete. Pelo áspero, reto e cheio, sem nenhuma aparência de pluma.

DESQUALIFICAÇÃO - Cauda em foice ou sem enrolar.

 Anteriores e Posteriores

Anteriores

Ombros fortes e poderosos com inclinação moderada. Pernas da frente de ossatura pesada e retas quando vistas de frente. ângulo do metacarpo para a frente a 15 graus em relação à vertical.

FALTAS - Cotovelos para dentro ou para fora, ombros soltos.

   Posteriores

Largos, desenvolvimento muscular e ósseo comparável aos anteriores. Coxas bem desenvolvidas. Joelhos moderadamente angulados e jarretes bem baixos não virando para dentro nem para fora.

Quintos Dedos

Nas pernas da frente geralmente não são removidos, nas pernas de trás geralmente removidos. 

Pés

Pés de gato, bem arqueados com almofadas espessas. Pés retos para a frente.

 Pelagem

Pelagem dupla. Sub-pelo espesso, macio, denso e mais curto do que o pelo externo. Pelo externo reto, áspero e um tanto espetado do corpo. Na cabeça, pernas e orelhas, pelo curto. Comprimento do pelo na cernelha e na garupa aproximadamente 5,08cm  o que é ligeiramente mais longo do que no resto do corpo, com exceção da cauda, onde a pelagem é mais longa e mais profusa.

FALTA Qualquer sugestão de juba ou franjas.

 Cor

Qualquer cor incluindo o branco, tigrado ou malhado. As cores são brilhantes e definidas e as malhas são bem distribuídas, com ou sem máscara ou listra branca entre os olhos. AKITAS brancos não possuem máscara. Os malhados tem um fundo branco com malhas grandes, distribuídas de maneira uniforme, cobrindo a cabeça e mais de um terço do corpo. O sub-pelo pode ser de uma cor diferente do pelo externo.

 Movimentação

Rápida e poderosa com passadas de alcance moderado. A linha supe¬rior permanece forte, firme e em nível. As pernas de trás movem-se em linha com as pernas da frente.

 Tamanho

Machos de 66,04cm a 71,12cm  na cernelha, fêmeas de 60,96cm a  66,04cm .

DESQUALIFICAÇÕES - Machos abaixo de 63,5cm  e fêmeas abaixo de 58,42cm . 

 Temperamento

Alerta e suscetível, digno e corajoso. Agressivo em relação a outros cães. 

 

DESQUALIFICAÇÕES

 - Nariz manchado de rosa (nariz borboleta) ou falta total de pigmentação no nariz.

- Orelhas caídas ou quebradas.

- Prognatismo ou retrognatismo.

- Cauda em foice ou sem enrolar.

- Machos abaixo de 63,5cm , fêmeas abaixo de 58,42cm .

 

 

 

 BOXER

 Padrão Oficial  do Boxer

 

Aparência Geral

O BOXER ideal é um cão de tamanho médio, de construção quadrada, de boa substância, com dorso curto, membros fortes e pelagem curta e acamada. Sua musculatura bem desenvolvida deve ser plástica, rija e de aparência uniforme sob a pele estirada. Seus movimentos devem denotar energia. Sua movimentação é firme porém elástica, a passada é livre com boa cobertura de solo, o porte orgulhoso. Desenvolvido para servir como cão de guarda, trabalho e companhia, deve combinar resistência e agilidade com elegância e estilo. Sua expressão é alerta e o temperamento é firme e tratável. A cabeça esculpida, confere ao BOXER uma estampa individual única. Ela deve estar em proporção correta com o corpo. O focinho largo, rombudo é a característica marcante e deve ser atribuído grande valor à sua forma e balanceamento com  crânio corretos . No julgamento do BOXER deve ser dada fundamental importância à aparência geral para a qual uma cor atraente e modos impressionantes contribuem. Depois vem o balanceamento geral com atenção especial dada para a cabeça após o que os componentes individuais do corpo devem  ser examinados para a avaliação da sua construção correta e a eficiência da sua movimentação.

 

Tamanho, proporção e Substância

Altura

Machos adultos de 57,15cm a 63,5cm ; fêmeas de 53,34cm a 59,69cm  medidos na cernelha. De preferência, os machos não devem estar abaixo do mínimo, nem as fêmeas acima do máximo; entretanto, deve ser dada importância maior ao balanceamento e à qualidade do exemplar já que no Padrão não há desqualificação pelo tamanho.

Proporção

O corpo visto de perfil é de proporção quadrada na qual a linha horizontal, da parte anterior do antepeito até a projeção posterior da coxa, deve ser igual a uma linha vertical que desce da parte superior da cernelha ao chão.

Substância

Forte com musculatura bem balanceada. Machos de ossatura mais desenvolvida do que as fêmeas.

 

Cabeça

A beleza da cabeça depende da proporção harmoniosa do focinho em relação ao crânio. O focinho rombudo mede um terço  do comprimento da cabeça do occipital à ponta do nariz e dois terços  da largura do crânio. A cabeça deve ser limpa, sem apresentar rugas profundas (enrugada). Rugas aparecem sobre a testa, tipicamente,  quando as orelhas estão eretas e dobras são sempre presentes partindo do margem inferior do stop descendo por ambos os lados do focinho. 

Expressão - Inteligente e alerta.

Olhos - Os olhos são de cor marrom-escuro nem muito pequenos, nem protrusos ou muito profundos. Seu modo de refletir o caráter combinado com as rugas da testa dá à cabeça do BOXER sua qualidade de expressividade única.

Orelhas - Orelhas inseridas no ponto mais alto das laterais do crânio são cortadas, corte um pouco longo e afilando, eretas quando em alerta.

Crânio - O topo do crânio é levemente arqueado e não é nem arredondado, chato ou excessivamente largo, e o occipital não deve ser muito pronunciado. A testa apresenta uma ligeira depressão entre os olhos e forma com a linha superior do focinho um stop marcado. As bochechas devem ser relativamente achatadas e não salientes (bochechudo) mantendo as linhas regulares do crânio e devem afilar em direção ao focinho numa leve curva graciosa.

Focinho

O focinho, proporcionalmente desenvolvido em comprimento, largura e profundidade, tem o seu formato influenciado primeiro, pela formação de ambas as maxilas, segundo, pela colocação dos dentes, e terceiro pela textura dos lábios. A parte superior do focinho não deve ser descendente (focinho caído), nem deve ser côncava (focinho em prato), entretanto a ponta do nariz deve estar colocada um pouco mais alta do que a raiz do focinho.

Nariz - O nariz deve ser largo e preto.

Maxilar Superior - maxilar superior é largo onde se junta ao crânio e mantém essa largura, exceto por um afilamento muito ligeiro na frente. Os lábios os quais completam a formação do focinho, na frente devem encontrar-se de maneira uniforme. O lábio superior é grosso e almofadado, preenchendo o espaço frontal criado pela projeção da mandíbula, e lateralmente é apoiado pelos caninos da mandíbula. Por essa razão, esses caninos devem estar bem separados e ser de bom comprimento de forma que a superfície anterior do focinho seja larga e quadrada e, quando vista de lado, apresente uma moderada retração do nariz. O queixo deve ser perceptível tanto visto de lado como de frente.

Mordedura - O BOXER é prógnata; a mandíbula se projeta adiante do maxilar superior e se curva ligeiramente para cima. Os dentes incisivos da mandíbula estão em linha reta, com os caninos, de preferência, elevando-se  na mesma  para conceder à mandíbula a maior largura possível. A linha dos incisivos do maxilar superior é ligeiramente convexa com os incisivos Cantos Superiores se acomodando encaixados atrás dos caninos inferiores  de cada lado.

FALTAS - Crânio muito largo. Bochechas excessivas. Rugas muito profundas na testa (enrugado) ou total ausência (liso). Lábios excessivamente pendulosos. Focinho muito leve para o crânio (pontudo), excesso de prognatismo, dentes ou língua aparecendo com a boca fechada. Olhos perceptivelmente mais claros do que a cor de fundo da pelagem. 

 Pescoço, Linha Superior, Corpo

Pescoço - Redondo, de grande comprimento, musculoso e limpo, sem excessiva pele solta (barbelas). O pescoço tem uma nuca nitidamente marcada com um arco elegante fundindo-se de maneira suave aos ombros.

Linha Superior - Uniforme, firme e levemente inclinada.

Corpo - O peito é de largura razoável e o antepeito bem definido e visível de lado. O esterno é profundo atingindo em baixo até os cotovelos; a profundidade do corpo no ponto mais baixo do esterno igual à metade da altura do cão na cernelha. As costelas se estendem bem para trás são bem arqueadas porém não em formato de barril. A Linha superior é curta, reta e musculosa e conecta firmemente a cernelha ao trem posterior. O lombo é curto e musculo¬so. A linha inferior no ventre é ligeiramente esgalgada juntando-se ao posterior em uma curva graciosa. A garupa é ligeiramente inclinada, plana e larga. A cauda é inserida alta, cortada e portada para cima. A pélvis é longa e larga, especialmente nas fêmeas.

FALTAS - Pescoço curto pesado. Peito muito largo, muito estreito ou pendendo por entre os ombros. Falta de antepeito. Ventre distendido. Caixa torácica de costelas achatadas. Lombo longo ou estreito.  ou estreito, união frágil  com a garupa. Garupa caída. Mais alto no posterior do que na frente.

 Anteriores

Os ombros são longos e inclinados, bem acamados e não excessivamente cobertos por músculos (carregados). O braço é longo quase formando um ângulo reto com a escápula. Os cotovelos não devem pressionar muito as paredes do tórax nem afastarem-se, visivelmente, fora delas. As pernas da frente são longas, retas e firmemente musculadas e quando vistas de frente paralelas uma à outra. O metacarpo é forte e destacado, ligeiramente inclinado, porém ficando quase perpendicular ao chão. Os quintos dedos podem ser removidos. Os pés devem ser compactos sem desviar para dentro nem para fora, com dedos bem arqueados.

FALTAS - Ombros soltos ou carregados. Cotovelos para dentro ou para fora.

 Posteriores 

Os posteriores são pesadamente musculosos com ângulos em balanceamento com os dos anteriores. As coxas são largas e curvas, a musculatura da parte posterior da coxa é rija e fortemente desenvolvida. Coxas longas. Pernas  bem anguladas no joelho com a junta dos jarretes, bem baixos, claramente definida. Vistas por trás as pernas posteriores devem ser retas, com a junta dos jarretes não se desviando nem para dentro nem para fora. Visto de lado o jarrete ( metatarso) deve ser praticamente perpendicular ao chão, com uma ligeira inclinação para trás permissível. O metatarso deve ser curto, liso e forte. O BOXER não tem quintos dedos pos-teriores.

FALTAS - Posteriores retos ou super-angulados. Coxas finas ou so¬brecarregadas. Jarrete com excesso de angulação (jarrete de foice). Posteriores muito embaixo ou muito para trás do corpo.

Pelagem

Curta, brilhante, acamada e aderente ao corpo.

 Cor

As cores são fulvo e tigrado. Fulvo em vários tons de canela cla¬ro ao mogno escuro. O tigrado varia desde esparsas porém claramente definidas listras pretas em um fundo fulvo até uma pesada concentração de listras pretas através da qual, apesar de clara, a essencial cor de fundo fulva, mal aparece, o que pode criar a imagem de um tigrado reverso.

Marcas brancas devem estar distribuídas de forma tal que realcem a aparência do cão, porém não devem exceder um terço  do total da pelagem. Não são desejáveis nos flancos ou na parte de trás do torso propriamente dito. No focinho o branco pode substituir parte da, de outra forma essencial, máscara pre¬ta, podendo se estender por entre os olhos, mas não deve ser excessiva para não distorcer a verdadeira expressão do BOXER.

  FALTAS - Marcas brancas não atraentes ou mal localizadas. 

Desqualificações BOXERS de qualquer outra cor que não fulvo ou tigrado. Marcas brancas excedendo um terço da cor total da a pelagem.

 

Movimentação

As angulações  anteriores e posteriores corretas, vistas de lado se manifestam numa movimentação facilmente eficaz, cm a linha superior em nível e boa cobertura de solo, com propulsão poderosa emanando de um posterior que trabalha livremente. Embora os anteriores não contribuam com a força propelente o alcance adequado deve estar evidente para evitar interferência dos anteriores com os posteriores, sobre passo, movimentação lateral ( andar de caranguejo). Vistos de frente os ombros devem permanecer em boa posição e os cotovelos não devem se abrir para fora. As pernas ficam paralelas enquanto a passo, o rastro se estreita na proporção do aumento da velocidade, depois as pernas vão para debaixo do corpo, porém nunca devem se cruzar. A linha que vai do ombro à perna deve permanecer reta, embora não necessariamente perpendicular ao chão. Vista por trás a garupa do BOXER não deve rebolar. Os pés de trás devem "escavar o solo" e trilhar em alinhamento relativo com os da frente. Novamente, conforme aumenta a velocidade, os rastros traseiros normalmente largos, vão se tor-nando mais estreitos.

FALTAS:

Movimentação saltitante ou ineficiente. Falta de uniformi¬dade na movimentação.

 Caráter e Temperamento

Estes são de importância fundamental no BOXER. Instintivamente um Cão de Guarda com grande acuidade auditiva, seu porte é alerta, digno e auto-confiante. Nas pistas de Exposição seu comportamento deve demonstrar uma animação contida. Com a família e amigos seu temperamento é fundamentalmente brincalhão e ainda paciente e estóico com as crianças. Circunspecto e cauteloso com estranhos, ele demonstra curiosidade mas, o que é mais importante, coragem temerária se ameaçado. Contudo, ele responde prontamente a aproximações amistosas quando se apresentam sinceras. Sua inteligência, afeição leal e docilidade para o aprendizado fazem-no um companheiro altamente desejável.

FALTAS - Falta de dignidade e atenção. Timidez.

 DESQUALIFICAÇÕES

 Boxers de qualquer outra cor que não o fulvo ou o tigrado. 

Boxers com um total de marcas brancas excedendo um terço do total da pelagem. 

  

 

 

 BULLDOG AMERICANO

 

 

 

 

Padrão Oficial do Bulldogue Americano (American Bulldog)

 

Histórico:

O American Bulldog originalmente foi utilizado para derrubar bois e guardar propriedades, no Sudeste dos EUA. Não foi criado para demonstrar ou parecer ameaçador, no entanto tinha que impor-se para desempenhar suas funções de proteção patrimonial, eventualmente confrontando pessoas, e também nas funções de cão “derrubador”. Tinha que ser suficientemente forte para derrubar um boi e suficientemente atlético derrubar/caçar porcos selvagens. 

A raça ainda não é reconhecida oficialmente pelos principais organismos internacionais (AKC, FCI, etc.). O padrão oficial no qual está baseado esta tradução é descrito pelo AMERICAN BULLDOG ASSOCIATION, na sua revisão de 1997.

 Aparência Geral 

O American Bulldog deve apresentar uma impressão de grande força, agilidade, persistência e ao mesmo tempo exibir uma figura bem construída, robusta e compacta com ausência de excesso de massa.  Os machos são caracteristicamente maiores, com ossatura mais pesada e mais masculinos que as fêmeas.

O American Bulldog é um cão branco, com manchas (tigradas ou castanhas).  Quando com manchas, estas podem ir das tradicionais marcações sobre uma/um orelha/olho, uma mancha na base da cauda, ou grandes manchas no dorso e varias outras manchas pelo corpo.

Para efeito de tipificações da raça e para efeito de julgamento a ACB aceita e segue o padrão do ABA, que faz distinções entre um tipo ideal “Scott” e um tipo ideal “Johnson”, este último leva oi nome de um grande criador e referência para a raça no seu estágio atual de desenvolvimento.

 Tamanho:

 Machos entre 58,5 a 68,5 cm. de altura, medida do chão ao topo da cernelha e entre 48,5 e60 kg. de peso de 32 a 44 kg. As fêmeas com uma altura média entre 53,5 a 63,5cm. e  peso entre 30 e 45 kg.

      --O tipo Scott, determina uma altura entre 58,4 e 68,6 cm. e o peso médio entre 37,5 e 55 kg; para as fêmeas a altura entre 53,3 e 63,5 cm. e o peso entre 30 e 42 kg.

      --O tipo Johnson, determina a altura entre 55,9 e 66 cm. com um peso entre 40 e 60 kg. As fêmeas entre 50,8 e 61 cm com peso entre 30 e 45 kg. 

 Cabeça: 

Comprimento moderado, crânio largo, com músculos das bochechas pronunciados. O Stop é pronunciado e profundo.

Olhos: Tamanho médio, qualquer cor.  Pálpebras não devem estar visíveis. Cães brancos  devem apresentar a borda do olho preta; uma borda rosa deve ser considerada uma falta cosmética  (não anatômica).  

Orelhas: Amputadas ou não. Não amputadas preferivelmente. O formato da orelha é em “V” inserção alta e portada rente à bochecha (adendo ACB).

Focinho: Comprimento médio (5 a 10 cm), formato quadrangular e longo, com um maxilar forte. Os lábios devem ser cheios, mas não pendentes. Deve ter entre 42 a 44 dentes.

   O comprimento do focinho deve ser aproximadamente a metade do comprimento do crânio. (adendo ACB)

       --A mordedura no tipo Scott deve ser tesoura invertida, ou seja, os dentes inferiores estão encostados nos superiores pelo lado de fora. Mordedura em tesoura ou torques é considerada falta estética. Faltas estruturais do focinho são: comprimento abaixo de 5 cm. ou acima de 10 cm., lábios pendentes, menos de 42 dentes, prognatismo superior a 0,6 cm., dentes pequenos e incisos não paralelos.

       --O tipo Johnson define um prognatismo entre 0,3 e 0,6 cm preferivelmente. Mordedura em tesoura ou torques são desqualificantes. Como falta estrutural no focinho entende-se um comprimento  abaixo de 5 cm. ou acima de 10 cm.  

Nariz: É cor preta ou acinzentado. Nos cães de trufa preta os lábios deverão ser pretos com alguns pontos rosa permitidos. Nariz róseo deve ser considerado falta cosmética.

 Pescoço:

Musculoso, comprimento médio, suavemente arqueado, afilando em direção a cabeça, pouca barbela é permitida.

 Ombros:

Muito musculosos, costelas bem arqueadas, os ombros devem estar posicionados de forma a não expulsar os cotovelos.

 Peito, Dorso e Lombo:

O peito deve ser profundo e moderadamente largo, porém sem empurrar os ombros para fora, o dorso de comprimento médio, forte e amplo, o lombo deve ser levemente mais alto correspondendo a uma leve elevação do dorso em direção à garupa.

Faltas são: dorso selado, peito estreito e raso, falta de elevação na garupa. 

 Posterior:  

Muito amplo, bem musculoso, na mesma proporção dos ombros.  Quadris estreitos representam falta muito séria.

 Pernas:

Fortes, retas, com ossatura pesada. As pernas dianteiras devem estar posicionadas não muito próximas ou muito afastadas uma da outra.

Falta: pernas excessivamente curvadas, ou muito para dentro na altura do cotovelo

As pernas posteriores devem ter uma angulação visível na junta da rótula.

 Pés:

Tamanho moderado, dedos de comprimento médio, bem arqueados e juntos, não abertos  (espalmados), metacarpos fortes, retos e perpendiculares

 Cauda:

Portada baixa, grossa na raiz afilando na ponta, não deve curvar sobre o dorso. Amputada ou não.

 Pelagem: 

Curta, aderente, áspera ao toque. Não longa ou felpuda

 Cores:

Todo branco, salpicado ou com até 75% de manchas tigradas, ou castanhas (red, definido como qualquer tonalidade de marrom, vermelho ou tan) 

 Disposição:

Alerta, disposição para sair, amigável, com atitude de auto confiança. Alguma restrição a estranhos, ou certa agressividade frente a outros cães não devem ser consideradas faltas.

 Desqualificação: 

Cães que são surdos, machos sem os dois testículos visíveis (em ambos os tipos, Scott e Johnson). No tipo Johnson ainda considera desqualificante mordedura em tesoura ou torques.

 

As faltas cosméticas são consideradas mínimas.

Outras faltas são de caráter estrutural e interferem com o trabalho do cão, e devem ser penalizadas de acordo com a proporção do desvio. Qualquer falta com desvio extremo deve ser severamente penalizada.

Outras faltas que devem ser observadas dizem respeito à qualidade e aptidão para o trabalho, tais como agilidade, determinação, força, tolerância ao calor e poder de mordida. 

 

 

  

 BULLMASTIFF

 

 

 

 

Padrão oficial da raça Bullmastiff

 

Aparência Geral - A de um animal simétrico, mostrando grande força, poderosamente construído mas ativo. O cão é corajoso embora dócil, tem resistência e vivacidade. A criação básica foi 60% Mastiff e 40% Bulldog.

 

Cabeça:

Crânio grande, com uma razoável quantidade de rugas quando em atenção; larga, com bochechas bem desenvolvidas. Testa plana. Focinho largo e profundo; seu comprimento, em comparação com o da cabeça inteira, é aproximadamente de 1 para 3. Focinho curto com narinas colocadas no alto do focinho é uma reversão para o Bulldog e é muito indesejável. Nariz preto com narinas grandes e largas. Lábios não muito pendentes, stop moderado, e a boca (mordedura), de preferência nivelada ou ligeiramente prognata inferior. Dentes caninos grandes e bem separados. Um focinho escuro é preferível.

 Olhos:

Escuros e de tamanho médio.

 Orelhas:

Em forma de “V” e portadas junto às faces, inseridas largas e no alto, em nível com o occpital e as faces, dando uma aparência quadrada ao crânio; de cor mais escura que o corpo e de tamanho médio.

 Pescoço:

Ligeiramente arqueado, de comprimento moderado, muito musculoso e quase igual em circunferência ao crânio.

 Corpo:

Compacto. Peito largo e profundo, 

com costelas bem arqueadas e bem colocadas entre as pernas dianteiras.

 Parte Dianteira:

Ombros musculosos mas não carregados, e ligeiramente inclinados. Pernas dianteiras retas, de boa ossatura e bem separadas; cotovelos em esquadro. Metacarpos retos, pés de tamanho médio, com dedos redondos bem arqueados. Almofadas plantares grossas e duras, unhas pretas.

 Dorso:

Curto, dando a impressão de um cão bem balanceado.

 Lombo:

Largo, musculoso e ligeiramente arqueado, com razoável profundidade de flanco.

  Parte Traseira:

Larga e musculosa, com a sobrecoxa bem desenvolvida denotando vigor, mas não peso. Angulação moderada nos jarretes. Jarretes de vaca e pés abertos são defeitos graves.

 Cauda:

Inserida alta, forte na raiz e afinando para os jarrtes. Pode ser reta ou curva, mas nunca portada à maneira Hound.

 Pelagem:

Curta e densa, dando boa proteção contra a intempérie.

 Cor:

Vermelho, castanho ou tigrado. Exceto por uma mancha muito pequena no peito, marcas brancas são consideradas um defeito.

 Tamanho: 

Macho, 63 a 69 cm no ombro, e 50 a 59 Kg.

Fêmeas, 61 a 66 cm no ombro, e 45,5 a 54,5 Kg. de peso. Sendo igual nas outras coisas o cão mais pesado é favorecido.

 

 

 

CANE CORSO

 

 

Padrão Oficial do Cane Corso

 

Descrição Geral: O CANE CORSO é um cão de trabalho de porte grande, descendente dos Antigos Molossos. São nativos da Itália, e representam, nos dias modernos, a continuidade dos cães de guerra que enfrentam leões nas antigas arenas romanas. Possuem grande força e coragem, e são de temperamento estável. Foram também usados para a caça de grandes animais selvagens, como ursos, e também para recuperar animais dos rebanhos. Hoje em dia o Cane Corso é um excelente cão de guarda, extremamente leal à sua família e bastante reservado com estranhos. Ele tem uma natureza protetora, porém tem habilidade para discernir entre amigos e invasores.

Ao julgar o Cane Corso, deve sempre ser lembrado que é uma raça vinda de Mastiffs, e que o tipo do Mastiff é altamente desejável.

 Cabeça: Maciça. larga e achatada acima do crânio, mais larga entre as orelhas, com as orelhas inseridas em linha com a parte mais larga do topo do crânio. O focinho deve ser largo e quadrado, com um profundo e poderoso maxilar inferior, e denotando grande força se visto de qualquer ângulo. O focinho não deve ter mais do que 40% do total do comprimento da cabeça. O focinho deve ser paralelo ao crânio, mostrando um stop bem definido.

Olhos: Devem ser de tamanho médio, de formato amendoado, e bem afastados entre si. Olhos escuros devem ser preferidos, mas podem ocorrer manchas de cor, variando conforme a cor da pelagem. As pálpebras devem ser bem distendidas, porém, como em todas as raças de Mastiff, um mínimo de pálpebra caída aceitável.

Orelhas: O corte tem grandes variações, de cortado bem junto ao crânio, ao formato triangular. Orelhas não cortadas são aceitáveis e não devem ser penalizadas.

Nariz: A cor do nariz deve ser correspondente à cor da pelagem, porém o nariz negro deve ser aceito sempre.

Mordedura: Os dentes devem encontrar-se numa mordedura em tesoura, porém mordedura em torquês ou um leve prognatismo são aceitáveis. É desejável uma dentição completa.

Lábios: Os lábios são grossos e pesados, o lábio superior é moderadamente pendente, cobrindo a mandíbula de forma tal que as bordas inferiores do focinho sejam emolduradas pelos lábios.

 Pescoço: Deve ser musculoso, poderoso e arqueado. O pescoço poderá ter uma quantidade moderada de barbelas, que não devem ser excessivas.

 Corpo: O peito deve ser largo e profundo descendo entre os cotovelos, costelas bem arqueadas. A linha superior deve ser reta e não demonstrar fraqueza. Deve encaixar-se suavemente nos quartos posteriores, que devem ser levemente arredondados quando vistos de lado.

A barriga levemente encolhida. O cão deve ter uma aparência um pouco mais longa que alta. O mais importante é que o cão tenha uma aparência balanceada e atlética.

 Quartos Dianteiros: Os ombros são musculosos e bem inclinados para trás, e livres na movimentação. Cotovelos retos e bem juntos ao corpo. As pernas dianteiras devem ser retas com ossatura pesada. Corpos bem angulados porém flexíveis. Os pés são compactos, têm forma ovalada, com almofadas plantares espessas e dedos bem ajustados. Os pés não devem desviar nem para dentro, nem para fora. Ergot posteriores, caso hajam, devem ser removidos.

Quartos Posteriores: Os posteriores devem ser largos, bem desenvolvidos e muito musculosos. Coxas moderadamente longas e poderosas. Joelhos com boa angulação. Boa harmonia com os dianteiros, de forma tal a produzir um cão bem balanceado. Jarretes bem descidos e paralelos entre si quando vistos por detrás.

Cauda: A cauda é inserida alta para dar aparência de continuidade da linha superior e é cortada um terço do comprimento. Quando o cão está excitado, a cauda se eleva, porém nunca deve ser portada reta, elevada.

Pêlo: O pêlo é curto, denso e áspero ao toque. Quando faz frio, o Cane Corso desenvolve um sub-pêlo mais denso.

Movimentação: A movimentação deve ser livre, fluida, poderosa, porém sem esforço. As pernas dianteiras devem ter bom alcance e as pernas posteriores devem ter boa propulsão e extensão. Quando vistos de frente e de trás, as pernas devem se mover paralelas entre si e cobrir uma boa extensão de terreno com cada passo. Quando visto de lado, a linha superior deve se manter firme, com um mínimo de rebolar.

Temperamento: O Cane Corso deve ser alerta e demonstrar auto confiança. Nunca deve ser agressivo ou tímido.

Altura: A altura mínima para machos é de 24” e para fêmea 22” .

Peso: Peso mínimo para machos é de 100 libras e para fêmeas 80 libras. Portanto o tamanho maior seja preferível, isto não deve ser em prejuízo da habilidade de trabalho do cão, ou de sua movimentação.

Cor: Preto, azul, castanho, castanho claro, vermelho e todas estas cores podem ter a variedade tigrada. Os castanhos claros frequentemente possuem uma máscara negra. Preto com tan, azul e tan são aceitáveis mas não desejáveis. Branco é permitido no peito, pés e bochechas.

Faltas: Qualquer desvio do padrão deve ser considerada falta. A gravidade da falta deve ser analisada ao seu grau, isto é, uma frente muito cedida é uma falta grande, uma frente pouco cedida é uma falta menor, etc.

Desqualificações: Monorquidismo, criptorquidismo, olhos azuis, exceto os filhotes. Marcações brancas no corpo, exceto nas partes permitidas. Alguns pêlos brancos, não são considerados marcações. Cauda não cortada.

 

 

 DOBERMANN

 

Padrão Oficial da Raça Dobermann

 

Aparência Geral

A aparência geral é a de um cão de tamanho médio, com corpo quadrado. Compactamente construído, musculoso e poderoso, para grande resistência e velocidade. Elegante na aparência, de porte orgulhoso, refletindo grande nobreza e temperamento. Enérgico, atento, determinado, alerta, destemido, leal e obediente.

 Tamanho, Proporção e Substância

Machos de 66cm a 71cm, ideal cerca de 70cm; Fêmeas de 61cm a 66cm, ideal cerca de 65cm. A altura, medida verticalmente do solo ao ponto mais alto da cernelha iguala-se ao comprimento medido horizontalmente do antepeito à projeção traseira da parte poste¬rior da coxa. Comprimento da cabeça, pescoço e pernas em proporção ao comprimento e profundidade do corpo.

 Cabeça

Longa e seca, assemelhando-se a uma cunha de terminação rombuda, vista tanto de frente como de perfil. Quando vista de frente a cabeça alarga-se gradualmente em direção à base das orelhas, numa linha, praticamente, contínua. Olhos - De formato amendoado, inserção moderadamente profunda, com uma vigorosa expressão enérgica. Íris de cor uniforme, variando do marrom-médio ao mais escuro nos cães pretos; nos marrons, azuis e isabela, a cor da íris com¬bina com a das marcas, sendo preferível, em todos os casos, os tons mais escuros.  Orelhas - Normalmente cortadas e portadas eretas. A junção superior da orelha quando mantida ereta, está em nível com o topo do crânio. Topo do Crânio - Achatado, com um suave stop com a cana nasal, com a linha superior do focinho estendendo-se paralela ao topo do crânio. Bochechas - Achatadas e musculosas.  Nariz - Preto sólido nos cães pretos, marrom-escuro nos marrons, cinza escuro nos azuis e bronze escuro nos isabelas.  Lábios - Estirados e aderentes às maxilas.  Maxilas - Amplas e poderosas, bem cheias sob os olhos. Dentes - Fortemente desenvolvidos e brancos. Incisivos inferiores verticais e tocando a face interna dos incisivos superiores - uma verdadeira mordedura em tesoura. 42 dentes corretamente posicionados, 22 na mandíbula e 20 no maxilar superior. Dentes escurecidos devido à cinomose não devem ser penalizados.  

 Pescoço, Linha Superior e Corpo

Pescoço- Portado orgulhosamente, bem musculoso e seco. Bem arqueado, alargando-se da nuca, gradualmente, em direção ao corpo. O comprimento do pescoço é proporcional ao corpo e à cabeça. Cernelha - Pronunciada e formando o ponto mais alto do corpo. Linha Superior - Curta, firme, de largura suficiente e musculosa no lombo, estendendo-se em uma linha reta da cernelha à garupa suavemente arredondada. Caixa Torácica - Larga com antepeito bem definido. Costelas - Bem arqueadas a partir da espinha, mas achatadas na parte inferior para permitir o espaço livre dos cotovelos. Profundidade de Peito - Alcançando os cotovelos.  Ventre - Bem esgalgado, estendendo-se numa linha curva a partir do peito.  Garupa - Larga e em proporção ao corpo, sendo a largura da garupa aproximadamente igual à largura do corpo na caixa torácica e ombros. Cauda - Cortada aproximadamente na segunda vértebra, parece ser uma continuação da coluna vertebral, e portada, apenas levemente, acima da horizontal quando o cão está alerta.

 Anteriores 

- A escápula inclina-se para a frente e para baixo em um ângulo de 45 graus em relação ao solo, e encontra o úmero em um ângulo de 90 graus. O comprimento da escápula e do úmero são iguais. Altura  do cotovelo à cernelha aproximadamente igual à altura do solo ao cotovelo. Pernas - Vistas de frente e de lado, perfeitamente retas e paralelas entre si, do cotovelo ao metacarpo; musculosas e tendinosas com ossos fortes. Em posição normal e quando em movimento os cotovelos permanecem encostados ao tórax.  Metacarpos- Firmes e quase perpendiculares ao solos.  Quintos dedos - Podem ser removidos, Pés - Bem arqueados, compactos, e iguais aos de gato, não desviam para dentro nem para fora.

 Posteriores

- As angulações dos posteriores equilibram-se com a dos anteriores. O ílio inclina-se em relação à coluna num ângulo de cerca de 30 graus, produzindo uma garupa bem cheia e suavemente arredondada. O fêmur em ângulo reto com o coxal, forma uma coxa longa, larga e bem musculosa de ambos os lados, com o joelho claramente definido. Coxas e Pernas - São de comprimento igual. Enquanto o cão está em repouso, o jarrete é perpendicular ao solo. Vistas de trás as pernas são retas e paralelas entre si e suficientemente afastadas para se ajustarem a um corpo bem desenvolvido. Quintos Dedos são geralmente removidos se houverem. PÉS de gato como nos anteriores, não desviam nem para dentro  nem para fora.

 Pelagem

Pelo liso, curto, duro, espesso e aderente. Sub-pelo cinza, invisível, é permitido no pescoço.

 Cor e Marcas

- Cores permitidas: preta, marrom, azul e isabela (castanho-claro). Marcas ferrugem nitidamente definidas, aparecendo: acima de cada olho e no focinho, garganta e antepeito, nas pernas e pés e sob a cauda.  Mancha branca no peito  não excedendo a 3cm per¬mitida.

 Movimentação

- Livre, equilibrada e vigorosa, com bom alcance dos anteriores e boa propulsão dos posteriores. Quando em trote há forte impulsão traseira. Cada perna traseira move-se em linha com a perna dianteira do mesmo lado. As pernas traseiras e dianteiras não desviam nem para dentro nem para fora. A linha superior permanece forte e firme. Quando se move em trote rápido, um cão construído apropriadamente pisará na linha mediana (rastros simples - single tracking).

 Temperamento

Enérgico, atento, determinado, alerta, destemido, leal e obedien¬te. O juiz deverá retirar da pista qualquer DOBERMANN tímido ou agressivo.

Timidez - um cão deve ser julgado basicamente tímido caso se recuse a permanecer imóvel para exame, esquivando-se do juiz; se temer uma aproximação por trás; se espantar-se devido a um barulho súbito e incomum de determinado grau.

Agressividade - um cão que ataca ou tenta atacar tanto o juiz como o seu apresentador, é definitivamente agressivo. Uma atitude agressiva ou beligerante em relação a outros cães não deve ser considerada agressividade.

 Faltas

A descrição anterior é a de um DOBERMANN ideal. Todo o desvio do descrito acima, deve ser penalizado na extensão do mesmo.

 

DESQUALIFICAÇÕES

- Retrognatismo maior que 5mm.

- Prognatismo maior do que 3mm.

- Falta de 4 ou mais dentes.

- Cães de cores não permitidas.

  

 

 DOGO ARGENTINO

 

Padrão Oficial da Raça Dogo Argentino

 

Aparência Geral - Excelente cão de caça grande, de caráter afável com as pessoas, especialmente com crianças, cujas travessuras é capaz de tolerar. Bom cão de guarda, dócil, abnegado e fiel. Outra atividade em que é utilizado com ótimos resultados é a guia de cego.

 

Altura e Peso - Altura de 60 a 65 cm. Peso 40 a 46 Kg.

 Cabeça - Crânio maciço, convexo no sentido anterior-posterior e transversal com relação às saliências dos músculos mastigadores e da nuca. O comprimento do focinho deve ser igual ao do crânio, o que quer dizer que a linha que une as duas apófises supra-orbitais do frontal seria igual à distância do occipital e do bordo alveolar do maxilar superior. De tipo mesocefálico, deve apresentar um perfil convexo, isto é, o crânio convexo com o relevo dos músculos mastigadores e o focinho ligeiramente côncavo, próprio do grande olfato: crânio de mastigador e focinho de olfato. Arcadas zigomáticas muito separadas do crânio, com fossa temporal ampla para a inserção cômoda do músculo temporal, um dos principais mastigadores. Maxilares bem adaptados, sem prognatismo. Fortes, com dentes bem implantados e grandes. Não tem importância o número de molares, sendo o mais importante a homogeneidade das arcadas dentárias, a ausência de cáries e em especial que os quatro caninos se fechem perfeitamente ao fazer a presa.

 Nariz - Fortemente pigmentado de preto.

Exige-se o lábio curto para que o cão possa respirar pela comissura labial posterior quando estiver com uma presa na boca. Occipital pouco saliente, porque os potentes músculos da nuca o apagam por completo, sendo em forma de arco a inserção da cabeça e pescoço.

 Olhos - Escuros ou de cor avelã, com pálpebras de bordas negras ou claras, bem separadas. De olhar vivo, inteligente e arrogante. Pálpebras vermelhas ou olhos claros são penalizados. A desigualdade de cor - olhos azuis é motivo de desqualificação.

 Orelhas - De inserção alta, eretas ou semi-eretas, de forma triangular. Devem ser cortadas Não podem ser julgados exemplares de orelhas caídas, sem serem operadas.

 Pescoço - Grosso, arqueado, esbelto, com a pele da garganta bem grossa, formando rugas como a do Mastim, e sem ser tesa como a do Bull Terrier, o que o favorece na luta com a presa.

 Anteriores - Retos, com bons aprumos, dedos curtos e bem ligados, almofadas de pele grossa, com calosidades.

 Tronco - Tórax largo; visto de lado, sua borda inferior atinge os cotovelos. Coluna mais alta nos ombros, inclinada em direção à anca, com um arco suave. Lombo apagado pela musculatura do dorso. Cernelha alta. Muito forte. De grande saliência musculares. Peito largo, profundo, com a sensação de possuir poderosos pulmões. Visto de frente, o esterno deve passar por baixo dos cotovelos.

 Cauda - Grossa e larga, mas sem ultrapassar os jarretes, de porte naturalmente caído. Durante a luta, deve mantê-la alta, em contínuo movimento lateral.

 Posteriores - De poderosa musculatura, com jarretes curtos e dedos bem fechados, sem ergots. Com boa angulação. A presença de ergots é penalizado, mas não é motivo de desqualificação.

 Pelagem - Completamente branco na cor. Toda mancha de qualquer cor deve ser considerada como de caráter atávico. As manchas pequenas na cabeça não são motivo de desqualificação, mas deve-se dar preferência aos exemplares totalmente brancos. Qualquer mancha no corpo é motivo de desqualificação.

 Defeitos Desqualificantes

Olhos azuis claros, surdez, manchas no corpo, pêlo longo, nariz branco ou manchado de branco; prognatismo; lábios pendentes; cabeça afilada; orelhas compridas (sem serem operadas); talhe inferior a 60 cm; mais de uma mancha grande na cabeça; e toda e qualquer desproporção física.

 

 

 DOGO CANARIO

 

 

Padrão do Dogo Canário

  

Resumo Histórico: cão molossóide originário da Ilhas Tenerife e Grande  canária, no arquipélago Canário.  Surgiu como resultado do cruzamento entre  o “majorero”, cão pastor pré-hispânico oriundo das ilhas e cães molossóides que chegaram ao arquipélago.  Destes cruzamentos, originaram um agrupamento étnico de cães do tipo dogo, de tamanho médio, de cor tigrada e fulvo, manchados de branco, de morfologia robusta, própria de um cão molosso, porém com agilidade e força, de bom temperamento, rústico e de caráter ativo e fiel.  

Durante os séculos 16 e 17 sua população aumentou consideravelmente, existindo numerosas referências ao mesmo nos textos históricos posteriores à conquista e sobretudo aos “Cedularios Del Cabildo”  , nos quais se explicam as funções que realizavam, especialmente como guarda e cuidado dos rebanhos bovinos, assim como aos serviços que prestavam aos fazendeiros para recolher o gado.

 Aparência Geral: cão molossoide, de tamanho médio, simétrico, de perfil reto, com máscara negra.  Rústico e bem proporcionado. É um mesomorfo, cujo tronco é mais longo que sua altura  na cernelha , acentuando-se  a característica longilínea ligeiramente maior nas fêmeas.

 Comportamento/Temperamento: seu aspecto é sereno. Olhar atento. É especialmente dotado para as funções de guarda e tradicionalmente para cuidar e conduzir o gado.  Seu temperamento é equilibrado e de grande confiança em si mesmo.  Latido grave e profundo. É manso e nobre em família com grande apreço ao dono e desconfiado com estranhos.

Expressão de grande confiança, nobreza e um pouco distante.  Quando em alerta sua atitude é muito firme e seu olhar vigilante.

 Cabeça:  maciça, do tipo braquicéfala, de aspecto maciça, coberta de pele solta e frouxa.  Sua forma tende a ser um cubo um pouco alongado.  A proporção entre o crânio e focinho é de 60-40%. A largura do crânio é de 3/5 do comprimento total da cabeça.

 Região Craniana

Crânio:  ligeiramente convexo em sentido Antero-posterior e transversal, se bem que o osso frontal tende a ser plano.  Sua largura é muito similar ao seu comprimento.  A arcada zigomática  é muito marcada com grande desenvolvimento dos músculos temporais e masseteres, porem, sem saliências. A crista occipital não é marcada.

Stop:  definido, porem não brusco. O sulco mediano entre os sulcos frontais  é marcado e ocupa aproximadamente 2/3 de crânio.  As linhas crânio-faciais são paralelas ou ligeiramente convergentes.

 Região Facial

Trufa: larga e fortemente pigmentada de preto.  Ela está colocada na mesma linha da cana nasal.  O vértice superior se encontra  ligeiramente atrás em relação ao inicio das  bochechas.  As aberturas são grandes, adequadas a uma fácil respiração.

 Focinho:  de comprimento menor que o crânio.  Normalmente 40% do total da cabeça.  Sua largura  é de 2/3 do crânio.  Muito largo  na base, diminuindo ligeiramente ate a trufa.  A cana nasal é plana e de perfil reto, sem curvaturas.

Lábios:  os lábios superiores são aderentes, sem excesso e em sua junção, vistos de frente formam um  “V” invertido.  Lábios e bochechas ligeiramente divergentes. O interior dos lábios é de cor escura.

Maxilares/Dentes:  mordedura em tesoura.  Admite-se a mordedura em torquês, embora não desejada, devido ao desgaste dentário que provoca.  Pode-se admitir um ligeiro prognatismo.  Os caninos apresentam ampla distância transversal.  Os dentes são longos com base de implantação muito forte, de molares grandes, incisivos pequenos, caninos bem desenvolvidos e com encaixa correto.

Olhos:  ligeiramente ovais, de tamanho médio a grande, com boa separação, brevilíneos, nem profundos, nem protuberantes.  As  pálpebras pigmentadas de preto e bem aderentes, nunca caídas.  A cor oscila desde o castanho escuro ao médio, de acordo com a pelagem. Nunca claros.

Orelhas:  de tamanho médio, bem separadas, de pelo curto e fino, caindo sem esforço ao lado da cabeça.  Se dobradas, são em forma de rosa.  Inserção ligeiramente superior à linha prolongada dos olhos.  As orelhas inseridas muito altas e juntas são atípicas. Nos paises onde é permitido cortar, elas ficarão eretas.

 Pescoço:  mais curto que o comprimento total da cabeça.  A borda inferior apresenta a pele solta, o que contribui para a formação de uma leve barbela.  O pescoço e maciço, reto, com tendência a cilíndrico e muito musculoso.

 Tronco:  longilineo, largo, profundo, seu comprimento supera a altura na cernelha 18-20% sendo esta diferença mais acentuada nas fêmeas.  Os flancos são pouco marcados.

 Linha Superior:  reta, sem deformações, sustentada por uma musculatura bem desenvolvida, porem pouco visível.  Em ligeira ascensão desde a cernelha até a garupa.  Nunca deve ser selada ou carpeada.

 Garupa:  média, larga, arredondada.  Não deve ser longa porque limitaria sua movimentação.  Nas fêmeas, normalmente, é mais larga.

 Peito:  de grande amplitude, com músculos peitorais bem marcados.  Sua profundidade deve chegar no mínimo ao cotovelo, tanto  de perfil como de frente.  O perímetro torácico é normalmente igual a altura na cernelha mais 45% desta.  Costelas bem arqueadas.

 Linha inferior:  ligeiramente recolhida em linha ascendente, mas nunca descendente.

 Cauda: grossa na raiz, estreitando-se até a ponta e não deve ultrapassar o jarrete.  De inserção média.  Em ação se eleva em forma de sabre, sem enroscar ou avançar sobre o dorso.  Em repouso, é reta com um aligeira curvatura na ponta.

Membros Anteriores

Ombros:  com boa inclinação.

Braços: bem angulados, oblíquos e com antebraços perfeitamente aprumados, retos de ossos largos e com boa musculatura.

Cotovelos:  nem muito aderentes as costelas, nem muito afastados.  A distancia dos cotovelos ao solo representa normalmente 50% da altura total dos machos e ligeiramente menor as fêmeas.

Metacarpos:  muito sólidos e ligeiramente inclinados.

Patas anteriores:  pés de gato com dedos arredondados, não muito juntos.  As almofadas plantares são muito bem desenvolvidas e pretas.  As unhas são escuras; as unhas brancas não são desejada, ainda que possam aparecer em função da pelagem.

 Posteriores:  fortes e paralelos, sem desvio.

Coxas:  longas e bem musculosas.  As angulações não são muito marcadas, sem serem retas.

Jarretes:  bem descidos.

Patas posteriores:  ligeiramente mais longas do que as patas anteriores e de características similares.

 Movimentação:  em movimento deve cobrir muito terreno, ágil e elástico.  A passada deve ser longa.  O porte da cauda é baixo e apenas eleva a cabeça sobre a linha dorsal.  Em atenção, a posição da cabeça é erguida e a cauda também.

 Pele:  grossa e elástica.  Frouxa no pescoço e ao redor.  Em atenção, forma na cabeça várias rugas  simétricas que tem como eixo o sulco mediano entre os sulcos frontais.

 Pelagem

Pêlo:  curto, rústico, bem acamado, sem subpelo (pode apresentar-se, em ocasiões , no pescoço e na garganta), que apresenta certa aspereza no toque.  Muito curto e fino nas orelhas, ligeiramente mais longo na cernelha e na crista das ancas.

Cor:  tigrado em todos os tons, desde o escuro muito forte até o cinza muito claro ou vermelho.  Fulvo em todos os tons até cor de areia.  O branco pode aparecer no peito, na base do pescoço ou na garganta, nas patas e dedos posteriores, sendo desejável o mínimo possível.  Mascar sempre preta, sem ultrapassar a altura dos olhos.

 Tamanho/Peso:

Altura na cernelha:    Machos:  60 a 65 cm

                                   Fêmeas:   56 a 61 cm.

Em casos de exemplares muito típicos, admite-se 1 cm de desvio acima ou abaixo.

Peso mínimo :          Machos:  50kg

                                  Fêmeas:   40kg

 

Faltas:  qualquer desvio dos termos deste padrão deve ser considerado com falta penalizado na exata proporção de sua gravidade.

 

Faltas Leves

-excessivas rugas na região crânio-facial, que não prejudiquem a expressão.

-mordedura em torques.

 

Faltas Graves               

-cabeça fora das proporções estabelecidas.

-linhas crânio-faciais muito convergente (stop excessivo, muito pronunciado).

-mascara que ultrapasse a altura dos olhos.

-patas dianteiras ou traseiras virando para dentro ou para fora.

-bochechas excessivamente aderentes, retraídas ou adiantadas.

-altura da cernelha igual a da garupa.

-excessivas barbelas.

-pálpebras caídas.

-cana nasal carpeada (nariz romano).

-angulações muito escassas ou excessivas.

-linha inferior descendente.

-peito pouco profundo.

-aprumos incorretos.  Inserção da cauda alta.  Cauda fina.

-ossatura fraca.

 

Faltas Muito Graves

-perfil quadrado.

-cabeça triangular, estreita ou cubóide.

-aspecto leve. 

-calda enroscada, muito fina, de igual grossura em todo seu comprimento ou deformada.

-tamanho muito baixo ou muito alto.

-linha superior selada ou carpeada.  Falta de antepeito.  Frente fraca.  Costelas pouco arqueadas.

-ausência de rugas na região crânio-facial (pele esticada sem elasticidade).

-olhos claros (amarelos). Olhos muito juntos ou oblíquos. Proeminentes ou profundos.

-excessivo prognatismo.

-ausência de qualquer dente (exceto os P1).

-orelhas inseridas muito altas.

-crânio redondo ou abobadado.

-linha crânio-facial divergente.

-pêlo raso ou fino.

-pobreza de máscara.

-pescoço longo, pouco maciço.

 

Faltas Eliminatórias

-característica desequilibrada ou qualquer indicio de agressividade.

-despigmentação total da trufa ou interior dos lábios.

-ausência de máscara.

-manchas brancas não desejáveis.

-enognatismo (prognatismo superior).

-garupa mais baixa do que a cernelha; linha superior descendente.

-olhos azuis ou de diferentes tonalidades.

-cauda amputada.

-monorquidismo e criptorquidismo.

-peito pouco desenvolvido.

 

Notas:

-os machos devem apresentar os dois testículos, de aparência normal, bem  desenvolvidos e acomodados na bolsa escrotal.

-todo cão que apresentar qualquer sinal de anomalia física ou de comportamento deve ser desqualificado.

 

 

         

            

 

DOGUE ALEMÃO

 

 

 

Padrão Oficial do Dogue Alemão

 

Aparência Geral

O DOGUE ALEMÃO combina, em sua aparência magnífica, dignidade, força e elegância com grande tamanho e um poderoso, bem formado corpo musculoso enxuto. É uma das raças gigantes, de trabalho, mas é a única na qual a conformação geral deve ser tão bem equilibrada que jamais aparenta ser desajeitado, e que deve se mover com um longo alcance e uma poderosa propulsão. É sempre uma unidade - O Apolo dos Cães. O DOGUE ALEMÃO deve ser destemido, corajoso, jamais tímido: sempre amistoso e fidedigno. Esta combinação física e mental é a característica que dá ao DOGUE ALEMÃO a  majestade que não é possuída por nenhuma outra raça. É um verdadei¬ro particular da raça que haja uma impressão de grande masculinidade dos machos comparada à impressão de feminilidade nas cadelas. A falta do tipo verdadeiro da raça do DOGUE como é definido neste Padrão, é uma falta séria.

Tamanho, Proporção, Substância

O macho deve parecer completamente mais compacto com maior estru¬tura e ossatura mais pesada que a cadela. O DOGUE ALEMÃO deve ser quadrado em relação ao comprimento e altura. Nas cadelas, um corpo um pouco mais longo é permitido contanto que seja bem proporcionado em relação à sua altura. Um tipo grosseiro ou falta de substância são igualmente indesejáveis. O macho não deve ter me¬nos do que 76,cm  na cernelha mas é preferível que ele tenha 81,5cm  ou mais, contanto que ele seja bem proporcionado à sua altura. A fêmea não dever ter menos do que 71cm  mas é preferível que tenha 76cm  ou mais, contanto que ela seja bem proporcionada à sua altura. DOGUES com altura abaixo do míni¬mo deve ser desqualificados.

 Cabeça

A cabeça deve ser retangular, longa, característica, expressiva e finamente esculpida especialmente abaixo dos olhos. Vista de lado a testa do DOGUE deve ser destacada da cana nasal (um stop fortemente pronunciado). O plano do crânio e o plano do focinho devem ser retos e paralelos um ao outro. O plano do crânio abaixo e em direção ao canto interior do olho deve inclinar-se sem qualquer protuberância óssea, numa linha suave para uma mandíbula quadrada, cheia, com focinho profundo (lábios esvoaçantes são indesejá¬veis). A masculinidade do macho é muito pronunciada na aparência estrutural da cabeça. A cabeça da fêmea é formada mais delicadamente. Visto de cima, o crânio deve ter lados paralelos e a cana nasal deve ser tão larga quanto possível. Os músculos das bochechas não devem ser proeminentes. O comprimento da ponta do nariz ao centro do stop deve ser igual ao comprimento do centro do stop a parte traseira do occipital levemente desenvolvido. A cabeça deve ser angulosa de todos os lados e deve ter superfícies planas com dimensões em proporção ao tamanho do DOGUE. As vibrissas (bigodes) podem ser cortadas ou deixadas naturais. Olhos - Devem ser de tamanho médio, de inserção profunda e escuros, com uma viva expressão inteligente. As pálpebras tem formato de amêndoa e são relativamente estiradas, com arcadas orbitárias bem desenvolvidas. Terceira pálpebra exuberante e olhos Mongólicos são  faltas sérias. Nos arlequins, os olhos devem ser escuros; olhos de coloração clara, olhos de cor diferentes e olhos esbranquiçados São permitidos porém não desejáveis. Orelhas - Devem ser colocadas altas, de tamanho médio e de grossura moderada, dobradas para a frente junto às bochechas. A linha superior da dobradura da orelha deve estar em nível com o crânio. Se cortada o comprimento da orelha está em proporção com o tamanho da cabeça e as orelhas são portadas eretas de maneira uniforme. Nariz - Deve ser preto exceto no Dogue azul onde ele é um azul-preto escuro. No arlequim um nariz preto manchado é permitido; um nariz cor-de-rosa não é de¬sejável.  Um nariz fendido é uma desqualificação.  Dentes - Devem ser fortes, bem desenvolvidos, limpos e com dentição completa. Os incisivos da mandíbula tocam muito ligeiramente a parte de baixo da face interna dos incisivos superiores (mordedura em tesoura). Uma mordedura prógnata é uma falta muito séria. Mordedura em torquês, incisivos desalinhados ou acavalados são faltas menores.

 

Pescoço, Linha Superior, Corpo

O pescoço deve ser firme, portado alto, bem arqueado, comprido e musculoso. Da nuca, ele deve alargar-se gradualmente e fluir de maneira uniforme por entre os ombros. A linha inferior do pescoço deve ser limpa. A cernelha  deve inclinar-se suavemente dentro de um uma linha superior curta, em nível com lombo largo. O antepeito deve ser bem desenvolvido sem um esterno pronunciado. O esterno se estende até os cotovelos, com costelas bem arqueadas. Alinha inferior do corpo deve ser rijamente musculosa com um esgalgamento bem definido. A garupa deve ser larga e muito ligeiramente inclinada. A cauda deve ser inserida alta e de maneira uniforme dentro da garupa porém não absolutamente em nível com a linha superior, uma continuação da espinha. A cauda deve ser larga na base, afinando uniformemente para baixo em direção à junta do jarrete. Em repouso, a cauda deve cair reta. Quando excitado ou andando, ela pode curvar-se ligeiramente, mas não acima do nível da linha superior. Uma cauda enrolada ou em gancho é uma  falta séria. Uma cauda cortada é uma desqualificação.

 Anteriores

Os anteriores, vistos de lado, devem ser fortes e musculosos. A escápula deve forte e inclinada, formando, o mais próximo possível, um ângulo reto na sua articulação com o braço. Uma linha da ponta superior do ombro à parte posterior da junta do cotovelo deve ser perpendicular. Os ligamentos e músculos que prendem a escápula à caixa torácica devem ser bem desenvolvidos, sólidos e presos com firmeza para evitar ombros soltos. As escápulas e o braço devem ter o mesmo comprimento. O cotovelo deve ficar à meia distância da cernelha ao chão. Os metacarpos fortes devem inclinar-se ligeiramente. Os pés devem ser redondos, compactos com dedos bem arqueados, nem virados para dentro, em para fora nem girando para o interior nem para o exterior. As unhas devem ser curtas, fortes e o mais escuras possível, exceto que elas podem ser mais claras nos arlequins. Quintos dedos podem ou não ser removidos.

 Posteriores

Os posteriores devem ser fortes, largos, musculosos e bem angulados, com jarretes bem baixos. Vistas por trás, a junta do jarrete parecem ser perfeitamente retas, não se virando nem para o interior nem em direção ao lado de fora. Os pés de trás devem ser redondos e compactos, com dedos bem arqueados, nem virados nem para dentro nem para fora.  As unhas devem ser curtas, fortes e o mais escuras possível, exceto que elas podem ser mais claras nos arlequins. Quintos dedos (unhas de lobo) são uma falta séria  

 Pelagem

A pelagem deve ser curta, grossa e lisa com uma aparência uniforme e lustrosa.

 Cor, Marcas e Configuração

 Tigrados- A cor básica deve ser amarelo-ouro e sempre rajada com fortes listras pretas atravessadas com uma configuração de divisas. Uma máscara preta é preferível. O preto deve aparecer no bordo das pálpebras e nas sobrancelhas e pode aparecer nas orelhas e ponta da cauda. Quanto mais intensa a cor de base e quanto mais distintas e parelhas as rajas, mais preferida deverá ser a cor. Rajas em demasia ou muito poucas são igualmente indesejáveis. Marcas brancas no antepeito e nos dedos, testa preta e tigrados de coloração turva não são desejáveis. 

 Fulvos- A cor deve ser amarelo-ouro com máscara preta. O preto deve aparecer no bordo das pálpebras e sobrancelhas, e pode aparecer nas orelhas e ponta da cauda. Sempre deve ser dada preferência ao amarelo-ouro profundo. Marcas brancas no antepeito e nos dedos, testa preta e fulvos de coloração turva não são desejáveis.

 Azuis- A cor deve ser um azul-aço puro. Marcas brancas no antepeito e nos dedos não são desejáveis.

 Pretos - A cor deve ser um preto lustroso.  Marcas brancas no antepeito e nos dedos não são desejáveis.

 Arlequim- A cor de base deve ser branco puro com malhas pretas separadas irregularmente e bem distribuídas sobre o corpo inteiro; um pescoço branco puro é preferível. As malhas pretas nunca devem ser grandes a ponto de dar a aparência de manto, nem tão pequenas que produzam um efeito pontilhado ou salpicado. Umas poucas manchas cinzas pequenas, ou pelos pretos  isolados aparecendo através de uma base branca produzindo um efeito de sal-e-pimenta ou um efeito turvo, são qualificáveis, porém menos desejáveis. Qualquer variação na cor ou marcas como as descritas acima devem ser penalizadas de acordo com a extensão do desvio. Qualquer DOGUE ALEMÃO que não se enquadre dentro da classificação de cor acima deverá ser desqualificado.

 Movimentação

Denota vigor e força com passadas longas e fáceis resultando numa linha superior sem sacudidelas, gingados ou saltitante. A linha superior deve mostrar-se em nível e paralela ao chão. O longo alcance deve tocar o chão abaixo do nariz quando a cabeça é por¬tada para a frente. O poderoso impulso traseiro deve ser balance¬ado com o alcance. A medida que a velocidade aumenta há uma ten¬dência de que as pernas convirjam em direção à linha central de balanço em 

baixo do corpo. Não deve haver oscilação do cotovelo ou da ponta do jarrete para dentro ou para fora.

Temperamento 

O DOGUE ALEMÃO deve ser destemido e corajoso, sempre amistoso e fidedigno, e nunca tímido ou agressivo.

 DESQUALIFICAÇÕES

 - DOGUES abaixo do mínimo da altura.

- Nariz fendido.

- Caudas cortadas.

- Qualquer outra cor que as descritas sob "Cor, Marcas e configuração.

 

 

 

 

DOGUE DE BORDEAUX

 

  

Linha Inferior:

Esgalgada, do peito profundo ao ventre retraído e firme.

 

Membros:

Anteriores: Ossatura forte. Membros muito musculados.

Cotovelos: Trabalhando, bem ajustados, rente ao tórax e corretamente direcionados para a frente.

Antebraços: Retos, ligeiramente inclinados para aproximarem-se do plano médio, principalmente, nos exemplares cujo peito é muito largo.

Metacarpo: Poderoso, ligeiramente inclinado, às vezes ligeiramente voltados para fora.

Patas: Fortes, compactas, unhas curvas, fortes e preferencialmente bem pigmentadas . Almofadas plantares bem desenvolvidas e elásticas.

Posteriores: Coxas muito desenvolvidas e grossas, exibindo relêvo muscular, joelhos trabalhando num plano vertical paralelo ao plano médio ou ligeiramente voltados para fora. Pernas relativamente curtas, musculadas, jarretes de angulação moderada, curtos e firmes. Visto por trás, os membros são bem paralelos revelando polência, apesar que as patas posteriores sejam menores que as anteriores.

 Fêmeas: Com características idênticas, porém, menos pronunciadas. Normalmente pesam menos que os machos.

 Pelagem:

Unicolores: acajú ou em gamas de fulvos. Deve-se buscar as tonalidades mais saturadas que indicam uma boa pigmentação. manchas branca pouco extensas são admitidas no antepeito e nas patas.

 Pêlo: Curto, fino e textura macia.

 O Dogue de Bordeaux tem uma máscara bem definida, seja ela preta ou ruiva.

 Peso:

Machos: mínimo de 50 quilos

Fêmeas: mínimo de 45 quilos.

 

Talhe: A altura na cernelha deve ser próxima ao perimetro da cabeça.

Machos: 60cm a 68 cm.

Fêmeas: 58cm a 66 cm.

 

O perimetro craniano é medido logo à frente das orelhas, no ponto de maior largura. A cabeça deverá estar na posição horizontal, evitando incluir as barbelas. 

O perimetro torácico é medido, passando-se a fita métrica, um centimetro atrás dos cotovelos, no ponto de maior amplitude.

Essas medidas devem ser tomadas com uma fita métrica suficientemente flexível e longa.

 

Faltas:

Cabeça pequena, fora das proporções com a altura na cernelha, muito longa, estreita, paralelepipedal, redonda, oval, testa plana. Ausência do sulco sagital, protuberância occipital muito proeminente. Ângulo crânio focinho muito agudo ou muito obtuso. Rugas muito juntas.

Focinho muito longo, muito curto, estreito, pouco amplo, pontudo, arrebitado (trufa à frente dos lábios). Linha superior do focinho paralela à do crânio, cana nasal descendente, focinho cheio sob os olhos.

Trufa estreita, narinas fechadas, manchada cor de carne, despigmentada. maxilares de comprimento igual ( em torquês). Incisivos ocluindo em tesoura, prognata superior, prognatismo exagerado ou insuficiente. Dentes pouco desenvolvidos, desalinhados.

Lábios exageradamente longos e flácidos (não retráteis). Muito curtos, pouco desenvolvidos, excessivamente pendentes, secos ou esquálidos.

Olhos pequenos, redondos, inserção muito profunda, proeminente, próximo, muito claros, porcelanizados. Expressão esgazeada. Conjuntiva aparente.

Orelhas pesadamente pendentes, muito longas, muito curtas, amputadas, inseridas ou portadas muito alto, eretas, em rosa, voltadas para fora, inseridas muito baixo.

Pescoço fino, longo, plano. Pele muito esticada. Barbelas em exagero.

Peito estreito, pouco profundo. Costelas muito planas ou em barril. Peito em quilha.

Ombros com hipotrofia muscular, pouco inclinados.

Dorso selado, carpeado, lombo fraco, garupa alta, arredondada ou caida.

Cauda desviada truncada, partida, torcida, cortada, fusão de vértebras caudais (cauda nodosa) cauda portada na vertical ou enrolada. Ponta enroscada.

Anurismo ainda que acidental.

Ventre flácido ou de lebrel.

Cotovelos muito afastados ou muito encostados no tórax.

Anteriores ossatura fraca. Hipotrofia muscular. Antebraço muito arqueado.

Metacarpos muito desviados para fora, para dentro cedido.

Patas espalmadas, dedos afastados, pés de lebre.

Posteriores coxas planas, esguias, joelhos muito desviados, angulação do jarrete muito fechada, muito aberta, presença de ergôs.

Cor branca no focinho. Pelagem toda branca. Manchas brancas no corpo ou na cauda. Polos grossos, àsperos, longos ou ondulados.

 Desqualificações:

1. Olhos porcelanizados.

2. Pálpebras despigmentadas.

 

 

FILA BRASILEIRO

 

 

 

 

 

Padrão Oficial do Fila Brasileiro

 

Aparência Geral

Raça tipicamente molossoide. Poderosa ossatura, figura retangular e compacta, porém harmoniosa e proporcional. Apresenta, aliada à massa, uma grande agilidade concentrada e facilmente perceptível. As fêmeas devem exibir feminilidade bem pronunciada, destacando-se nitidamente dos machos.

 

Caráter e temperamento

Dotado de coragem, determinação e valentia notáveis. Para com os de sua casa é dócil, obediente e extremamente tolerante com as crianças, proverbial em sua fidelidade, procurando com insistência a companhia dos donos. Caracteriza-se pela ojeriza a estranhos. De comportamento sereno, revelando confiança e segurança próprias, suporta perfeitamente ambientes e ruídos estranhos. É inexcedível guarda da propriedade dedicando-se também, e instintivamente, às lides de gado e à caça de animais de grande porte. Nas exposições, em geral, não permite ser tocado pelo árbitro e se o atacar, tal reação não deve ser considerada falta, mas apenas confirmação do seu temperamento. 

 Movimentação

Passos largos, elásticos, lembrando o dos felinos. Como principal característica movimenta os dois membros de um mesmo lado para depois movimentar os do outro (passo de camelo), o que lhe confere movimentos gigantes com balanços laterais do tórax e dos quadris, acentuados na cauda quando está erguida. Quando a passo, mantém a cabeça abaixo da linha do dorso. Trote fácil, suave, livre, de passadas largas, com bom alcance rendimento. Galope poderoso no qual alcança velocidade insuspeita em cães de tal porte e peso.  

A movimentação do FILA BRASILEIRO é sempre influenciada por suas articulações, típicas de molosso, o que não só dá a impressão, mas efetivamente lhe permite, súbitas e rápidas mudanças de direção.

 Expressão

Em repouso é calma, nobre, segura. Nunca apresenta olhar vago ou de enfado.

Em atenção, sua expressão deve ser de determinação, refletida em olhar firme e penetrante.

 Cabeça

Grande, pesada, maciça, sempre em harmonia com o corpo. Vista de cima é de aspecto trapezoidal, no qual se insere um formato periforme. Vista de perfil, o focinho e o crânio devem ter, aproximadamente, a proporção de 1 por 1 (um por um) sendo o primeiro ligeiramente menor que o segundo.

 Crânio

De perfil, mostra suave curva do stop ao occipital que é bem marcado e saliente, notadamente nos filhotes.

De frente é largo, amplo, com linha superior ligeiramente 

curva. Suas laterais descem em curva quase vertical, estreitando-se para o focinho, nunca formando degrau.

Stop

Visto de frente é praticamente inexistente. Sulco mediano em suave ascendência até, aproximadamente, a metade do crânio. Visto de lado é baixo, inclinado e virtualmente formado pelas arcadas superciliares, muito desenvolvidas.

 Focinho

Forte, largo, profundo sempre em harmonia com o crânio. Visto de cima é cheio sob os olhos, estreitando-se muito levemente até o meio, alargando-se  também levemente até a curva anterior. Visto de perfil tem linha superior reta ou levemente romana, nunca as¬cendente. Linha anterior próxima da perpendicular à superior com ligeira depressão logo abaixo do nariz, e seguindo para a linha inferior, por uma curva perfeita dos lábios superiores que, grossos, pendentes, sobrepõe-se aos inferiores, definindo a linha inferior do focinho, quase paralela à superior, terminando com a comissura labial sempre aparente. Lábios inferiores presos ao maxilar até os caninos, soltos dai para trás com bordas dentea¬das. Focinho de boa profundidade na raiz, sem ultrapassar o com-primento. Rima labial em forma de "U" invertido profundo.

 Nariz

Narinas largas, bem desenvolvidas, sem ocupar toda a largura do maxilar. De cor preta. 

 Olhos

De tamanho médio a grande, em formato amendoado e bem afastados de inserção média a profunda, coloração do castanho escuro ao amarelo, sempre em harmonia com a pelagem. Devido à pele solta, muitos exemplares, apresentam pálpebras caídas, detalhe que não deve ser considerado falta, pois aumenta o aspecto triste do o¬lhar típico da raça.

 Orelhas 

Caídas, grandes, grossas, em forma de "V". Largas na base, estreitando-se na extremidade, que é arredondada. Inseridas na parte mais posterior do crânio, na altura da linha média dos olhos, quando em repouso e elevando-se acima da inserção original quando em atenção. São de raiz inclinada, com o bordo anterior mais alto que o posterior. Apresentam-se caídas de lado ou dobradas para trás de modo a se ver o seu interior. 

 Dentes

Destacam-se pela largura em relação à altura. São fortes e claros. Os incisivos superiores largos na base e afilados na 

ponta. Os caninos são poderosos, bem implantados e afastados. A mordedu¬ra é em tesoura, sendo admitida em torquês.

 Pescoço

Extraordinariamente forte e musculoso, dando a impressão de cur¬to. Bordo superior com leve convexidade, bem destacado do crânio. Garganta provida de barbelas. 

Linha Superior

Cernelha em linha inclinada, aberta devido ao afastamento das escápulas e ligeiramente mais baixa que a garupa. No ponto em que termina a linha superior muda de direção ascendendo suavemente até a parte anterior da garupa, sem qualquer tendência a sela ou carpeamento.

 Garupa

Larga, longa, angulada aproximadamente a 30 graus da horizontal, definindo curva suave. Pouco mais alta do que a cernelha. Vista por trás a garupa deve ser ampla, de largura aproximadamente igual à do tórax, podendo ser ainda mais larga nas fêmeas.

 Tronco

Forte, coberto de pele grossa e solta, largo e profundo. Tórax mais comprido do que o abdômen. O comprimento do tronco é dado pela altura na cernelha mais dez por cento, medido do antepeito à parte posterior da nádega.

 Tórax

Costelas de bom arqueamento, sem todavia influenciar a posição dos ombros; peito largo e profundo, atingindo a ponta do cotovelo. Peitorais (antepeito) bem salientes. 

Flanco

Menos comprido e menos profundo do que o tórax, mostrando a separação das suas partes componentes. Nas fêmeas as abas dos flancos são mais desenvolvidas. Visto por cima deve ser menos largo e cheio do que o tórax e a garupa, porém sem marcar cintura.

 Linha Inferior

Peito longo e paralelo ao solo em tosa a sua extensão. Ventre suavemente ascendente, nunca esgalgado.

 Anteriores

Ombros estruturados idealmente por dois ossos de igual tamanho (escápula e úmero) sendo que o primeiro é angulado a 45 graus da horizontal e este aproximadamente a 90 graus do primeiro. A articulação escápulo-umeral forma a ponta do ombro, que deve situar-se ao nível da ponta do esterno, um pouco a retaguarda desta. No ideal, o ombro deve ocupar o espaço da cernelha ao esterno, e a ponta do ombro deve situar-se a meia altura dessa distância. Uma perpendicular imaginária, descendo da cernelha deve atravessar o cotovelo e atingir o pé.

 Pernas

Devem ser paralelas. De ossatura poderosa e retas; carpos fortes e aparentes, metacarpos curtos, levemente inclinados. A altura do membro anterior, do cotovelo ao chão, deve igualar-se à do cotovelo à cernelha.

 Pés

Formados por dedos fortes e bem arqueados, não muito juntos, a¬poiado em almofadas digitais espessas e contornando almofadas plantares largas, profundas e grossas. Em sua posição correta os dedos devem apontar 

para a frente. Unhas fortes, escuras, podendo ser brancas, quando esta for a cor do respectivo dedo.

 Posteriores

De ossatura não tão forte como a dos anteriores, porém nunca de¬verá parecer fina em relação ao todo. Coxa larga, de bordos abaulados, formados que são pelos músculos que descem do ílio e do ísquio, estes últimos desenhando a curva da nádega, razão de se exigir o ísquio de bom comprimento.

 Pernas

Paralelas, tarsos fortes, metatarsos levemente inclinados, mais altos que os metacarpos. Angulações de joelho e jarrete, moderadas.

 Pés

Um pouco mais ovalados do que os anteriores e iguais a estes no restante. Não devem apresentar  quintos dedos (ergots).

 Cauda

De raiz muito larga, de inserção média, afinando rapidamente para terminar ao nível do jarrete. Quando o cão está excitado, eleva-se, acentuando a curva da extremidade. Não deve cair sobre a linha superior ou enroscar-se.

 Tamanho

- Altura dos machos: 65cm a 75cm.

- Altura das fêmeas:  60cm a 70cm . 

 Peso

Mínimo de 40 kg para as fêmeas. Machos mínimo de 50 kg. 

 Cor

As permitidas são todas as cores sólidas excetuando-se as desqualificantes; tigradas de fundo nas cores sólidas, com rajas de pouca intensidade até os fortemente rajados, podendo apresentar, ou não, máscara preta.

Em todas as cores permitidas admitem-se marcações brancas nos pés, peito e ponta da cauda. Indesejáveis manchas brancas no res¬tante da pelagem.

 Pele

Representa um dos característicos rácicos mais importantes. Deve ser grossa, solta em todo o tronco, principalmente no pescoço formando pronunciadas barbelas e, em muitos casos, prosseguindo pelo peito e abdômen. Alguns cães apresentam uma dobra nas late¬rais da cabeça e também na cernelha, descendo até o ombro. Estan¬do o cão em repouso, a cabeça não deve apresentar rugas; excita¬do, a contração da musculatura sob a pele do crânio, para erguer as orelhas, forma, entre estas, pequenas rugas longitudinais ao crânio.

 Pelo

Baixo, macio, espesso e bem deitado.

 Prova de Temperamento

Obrigatória a todos os exemplares (após 12 meses); para que te¬nham seus títulos de campeonato homologados, deverão ter o certi¬ficado de apto na prova de temperamento. Sua realização deverá ser obrigatória em exposições especializadas. Facultativa nas gerais, a critério do juiz, desde que sejam realizadas fora do recinto da exposição e públicas.

Esta prova compreende:

1) - Ataque com vara - Onde o cão deverá atacar à frente do apre¬sentador, sem deste revelar dependência, permanecendo o condutor imóvel. Fica expressamente proibido bater ou tocar no animal.

2) - Prova de tiro - Deverão ser dados tiros de festim à distân¬cia de 5 (cinco) metros do cão, devendo este colocar-se em atenção, revelando confiança e segurança próprias.

3) - Durante todo o desenvolvimento da exposição o árbitro deverá avaliar o comportamento do animal, em especial sua expressão, e durante a prova de temperamento:

a) - A ojeriza do animal a desconhecidos;

b) - a segurança, coragem, determinação e valentia do exemplar.

  

FALTAS GERAIS

- Cripto ou monorquidismo;

- Uso de artifícios;

- Albinismo;

- Atipia;

- Quaisquer desvio da descrição do padrão

 

 

DESQUALIFICASTES

  1) - Agressividade ao dono;

 2) - Covardia;

 3) - Nariz cor de carne;

 4) - Retrognatismo;

 5) - Prognatismo com dentes à mostra estando a boca fechada;

 6) - Falta de 1 (um) canino ou 1(um) molar, exceto o 3º (tercei¬ro).

 7) - Olhos azuis louçados;

 8) - Orelhas ou caudas operadas;

 9) - Garupa mais baixa do que a cernelha;

10) - Todos os cães brancos, cinza rato, malhados, manchetados, 

azuis e preto e canela (black & tan);

11) - Abaixo do mínimo de altura;

12) - Ausência de pele solta;

13) - Ausência de "passo de camelo".

 

 MUITO GRAVES

  1) - Cabeça pequena;

 2) - Lábios superiores curtos;

 3) - Stop pronunciado visto de frente;

 4) - Olhos salientes;

 5) - Falta de 2 (dois) dentes exceto os P1 (primeiros premolares);

 6) - Falta de barbelas;

 7) - Apatia e timidez;

 8) - Sensibilidade negativa ao tiro;

 9) - Linha Superior carpeada;

10) - Linha superior plana;

11) - Linha inferior excessivamente esgalgada;

12) - Jarrete de vaca;

13) - Ausência de angulação dos posteriores (perna de porco);

14) - Ossatura leve;

15) - Falta de substância;

16) - Acima do máximo da altura;

17) - Marcações em branco que excedam 1/4 do geral;

18) - Despigmentação das pálpebras;

19) - Olhos redondos;

20) - Figura quadrada.

 

FALTAS GRAVES  

  1) - Focinho curto;

 2) - Orelhas pequenas;

 3) - Orelhas de implantação alta;

 4) - Olhos excessivamente claros;

5) - Presença de rugas no crânio, estando o animal em repouso;

 6) - Prognatismo;

 7) - Falta de 2 (dois) dentes;

 8) - Papada;

 9) - Linha superior selada;

10) - Garupa muito estreita; 

11) - Cauda portada enroscada, acima da linha do dorso;

12) - Peito pouco profundo;

13) - Desvios acentuados de metacarpo e metatarso;

14) - Posteriores muito angulados;

15) - Passos curtos.

 

 

 KOMODOR

 

 

Padrão Oficial do Komondor

 

Aparência Geral

O KOMONDOR é caracterizado pelo vigor imponente, conduta corajosa e conformação agradável. No geral ele é um cão grande, musculoso com boa quantidade de ossos e substância, coberto com um pelo inusitado  pesado e branco.

 Tamanho, Proporção, Substância

Machos 64,5cm ou mais na cernelha; fêmeas 59,5cm  ou mais na cernelha. Embora tamanho seja importante, tipo, caráter, simetria, movimentação e rusticidade são da mais alta importância e em hipótese alguma devem ser sacrificados por tamanho apenas. O corpo é retangular, apenas ligeiramente mais com¬prido do que a altura na cernelha. Abundância de ossatura e substância. FALTA Tamanho abaixo do limite.

 Cabeça

A cabeça parece um tanto curta em comparação com a conveniente testa larga. Olhos de tamanho médio em formato de amêndoa, inse¬ridos não muito profundos as bordas das pálpebras são cinzas. A íris dos olhos é marrom escura; cor clara não é desejável. O contorno das pálpebras é escuro ou cinza. FALTA - Olhos de cor clara. Olhos azul esbranquiçados são desqualificantes.  Orelhas de inserção média, pendentes e em formato de "V". FALTAS - Orelhas eretas ou orelhas que se movem para adiante numa posição ereta. O crânio é um pouco arqueado quando visto de lado. O stop é moderado. focinho é um pouco mais curto do que o comprimento do crânio. O focinho é poderoso. A cana nasal é reta e relativamente paralela à linha da abóbada craniana. Em comparação com o comprimento da cabeça, o focinho é largo, grosso e não pontudo. Nariz - As narinas são largas. A cor do nariz é preta. Um nariz cinza-escuro ou marrom-escuro não é desejável porém aceitável. Nariz e lábios são escuros ou cinza. É bom se as gengivas e o palato também sejam escuros.  Nariz cor de carne é desqualificante. A mordedura  é em tesoura, mordedura em torquês é aceitável. Qualquer falta dentária é uma falta grave. Mordedura prógnata ou retrognata evidentes são uma falta séria.

Pescoço, Linha Superior, Corpo

Pescoço musculoso de comprimento médio, moderadamente arqueado. A cabeça ereta. Qualquer barbela é uma falta.

Linha Superior - Linha superior em nível. 

O Corpo caracterizado principalmente pelo tórax poderoso e pro¬fundo o qual é musculoso e proporcionalmente largo. O abdômen é um pouco puxado na parte de trás.  A Garupa é larga. musculosa e ligeiramente inclinada em direção à raiz da cauda.

FALTA -Frouxidão ou soltura.

 Cauda

Uma continuação reta da linha da garupa, e chegando até os jarretes. Ligeiramente curvada para cima na sua terminação. Quando o cão está excitado a cauda eleva-se para cima até o nível da linha superior. A cauda não pode ser cortada. Uma cauda curva ou enrolada é uma falta. Cães anuros são desqualificados.

 Anteriores

Os ombros são moderadamente inclinados. As pernas da frente são retas, de boa ossatura e musculosas. Vistas por qualquer lado, as pernas são como colunas verticais. Os braços unem-se ao corpo bem junto, sem cotovelos soltos.

 Pés

Fortes, preferivelmente grandes e com dedos juntos, bem arquea¬dos. Unhas são pretas ou cinza. Almofadas são duras, elásticas e escuras ou cinza. 

 Posteriores

A dura, forte estrutura óssea é coberta com músculos altamente desenvolvidos. As pernas são retas quando vistas por trás.  Joelhos bem angulados. Quintos dedos traseiros devem ser removidos.  Pés  como na frente.

 Pelagem 

Pelagem dupla característica da raça, é densa, resistente à água. A pelagem do filhote é relativamente macia, porém mostra a tendência a formar cordas. No cão maduro a pelagem consiste de um sub-pelo macio e lanoso, muito mais que a pelagem do filhote, e um pelo externo mais grosso que é ondulado ou encaracolado. Os fios mais grossos do pelo externo ficam retidos pelo sub-pelo macio, produzindo fortes cordas permanentes que tem o toque de feltro. O cão adulto é coberto com uma pesada pelagem dessas cordas com aspecto de borlas, que se formam elas mesmas naturalmente, e uma vez formadas não exigem outro cuidado que lavar. A pelagem é mais longa na garupa, lombo e cauda. E de comprimento médio no dorso, ombros e peito. Mais curta nas bochechas, ao redor do olhos, orelhas, pescoço e nas extremidades. ela é mais curta ao redor da boca e na parte mais baixa das pernas acima dos jarretes. Pelagem curta ou muito encaracolada é uma falta. Pelagem reta ou sedosa é uma falta séria. Pelo curto acamado na cabeça e pernas é uma desqualificação. Falta de pelagem encordoada acima dos dois anos de idade é uma desqualificação. 

 Cor

A cor da pelagem é branca. Qualquer outra cor que não branca é uma desqualificação. No espécime ideal a pele é cinza. Pele cor de rosa é menos desejável porém é aceitável se não há evidências de albinismo.

 Movimentação

Leve, vagarosa e balanceada. Assume longos alcances.

 Temperamento

Um excelente guarda de casa. Ele é precavido com  estranhos. Como guardião de rebanhos, quando adulto, ele é um cão enérgico, corajoso e muito fiel. O cão jovem, todavia, é brincalhão como qualquer outro filhote. Ele é devotado ao seu dono e o defenderá contra o ataque de qualquer estranho. Por causa dessa peculiaridade, ele não é empregado para conduzir rebanhos, porém só para guardá-los. A tarefa especial do KOMONDOR é proteger os animais. Ele vive durante a maior parte do ano em espaços abertos, sem proteção contra cães estranhos e predadores.

 DESQUALIFICAÇÕES

 - Olhos azuis esbranquiçados.

- Nariz cor de carne.

- Anuros.

- Pelo curto e acamado na cabeça e pernas.

- Falta de encordoamento da pelagem acima dos dois     anos.

- Outra cor que não a branca.

 

 

 

 

KUVASZ

 

 

 

Padrão Oficial do Kuvacz

 

Aparência Geral  

Um cão de trabalho de grande tamanho, vigorosamente construído, bem balanceado, nem esbelto nem pesado. De cor branca sem manchas. De ossatura mediana, bem musculado, sem a mais leve sugestão de  grosseria ou letargia. Movendo-se livremente com pernas fortes, impressiona os olhos com força e vivacidade combinadas com a leveza dos pés. A descrição que se segue é a do KUVACZ ideal. Qualquer desvio dela deverá ser penalizado de acordo com a extensão desse desvio.

 Tamanho, Proporção, Substância 

Altura medida na cernelha: Machos de 71cm a 76cm ; fêmeas de 66cm a 71cm .Desqualificações - Machos me¬nores do que 66cm .Fêmeas menores que 61cm . 

Peso: machos aproximadamente de 50 a 57 kg, fêmeas aproximadamen¬te 35 a 45 kg. Tronco e membros formam um retângulo horizontal, ligeiramente, desviado do quadrado. 

 Ossos em proporção com o tamanho do corpo. Médios, sólidos. Nunca pesados ou grosseiros. Qualquer tendência à fraqueza ou à falta de substância é, decididamente, uma falta.

 Cabeça   

As proporções são de grande importância uma vez que a cabeça  é considerada como sendo a parte mais bela do KUVACZ. O comprimento da cabeça medido da ponta do nariz ao occipital é ligeiramente menor do que a metade da altura do cão na cernelha. A largura é a metade do comprimento da cabeça. Olhos  de formato de amendoado, inseridos afastados e um pouco inclinados. De perfil, os olhos  estão posicionados, levemente, abaixo do plano do focinho. Pálpe-bras esticadas e terceira pálpebra não aparente. Marrons-escuros, quanto mais escuros melhor. Orelhas em formato de "V", a ponta ligeiramente arredondada. Razoavelmente, grossas, elas se inserem bem para trás entre o nível do olho e o topo do crânio. Quando puxadas para a frente as pontas das orelhas deverão cobrir os olhos. Olhando o cão de frente, a parte mais larga da orelha está, aproximadamente, no nível do olho. O bordo interno da orelha cai rente à bochecha e o bordo externo, levemente, para fora da cabeça, formando um "V". Na posição relaxada as orelhas devem sustentar sua posição e nunca são jogadas para trás. As orelhas não devem projetar-se acima da cabeça. O Crânio é alongado mas não agudo. O stop é bem definido, nunca abrupto, a testa eleva-se, de maneira suave, acima do plano do focinho. O sulco mediano, longitudinal, da testa é pronunciado, alargando-se à medida em que ela se inclina em direção ao focinho.  Bochechas achatadas, e os arcos zigomáticos mais projetados do que os olhos. A pele é estirada. Focinho: comprimento em proporção ao comprimento da cabeça, cana nasal reta, nunca pontudo; mandíbula bem desenvolvida. Interior da boca, de preferência, preto. Nariz grande, preto, narinas bem abertas. Lábios pretos, cobrindo, completamente os dentes; o lábio superior cobre apenas os maxilares superiores sem excesso de lábios caídos. Lábios inferiores esticados e nunca pendurados. Mordedura: dentição completa, mordedura em tesoura preferível. Mordedura em torquês aceitável.  Desqualificações - Retrognatismo; prognatismo.

 Pescoço, Linha Superior, Corpo

Pescoço musculoso, sem barbelas, comprimento médio, arqueado na nuca. A Linha Superior é de comprimento médio, reta, firme e ra¬zoavelmente larga. O lombo é curto, musculoso e compacto. A garu¬pa é bem musculosa, e um pouco, inclinada. O antepeito é bem desenvolvido. Quando visto de lado o antepeito projeta-se, ligeiramente, à frente dos ombros. O tórax é profundo e longo, costelas bem arqueadas quase atingindo os cotovelos. O esterno é profundo, bem desenvolvido e estende-se paralelo ao chão. O estômago é bem esgalgado. Cauda de porte baixo, comprimento natural alcançando, ao menos, os jarretes. Em repouso ela fica pendurada para baixo, repousando contra o corpo, porém, com a ponta ligeiramente curvada para cima.  No estado de excitação, a cauda pode ser elevada até o nível do lombo, com a ponta ligeiramente elevada para cima. O ideal é que não deva haver muita diferença entre o porte da cauda no estado de excitação ou de repouso.  

 Anteriores 

Ombros são musculosos e longos. Linha Superior - cernelha mais alta do que o dorso. A escápula e o úmero formam um ângulo reto, são longos e de igual comprimento. Cotovelos nem para dentro nem para fora. Pernas de ossatura média, retas e bem musculosas. As juntas são secas e firmes. Quintos dedos nos anteriores não devem ser removidos. Pés - bem almofadados. Almofadas elásticas, pretas. Pé de dedos bem juntos, redondo, formando um "pé de gato". Alguns pêlos entre os dedos, quanto menos, melhor. Unhas escuras são preferíveis.

 Posteriores 

A porção da garupa atrás da articulação é moderadamente longa, facultando músculos das coxas largos, longos e fortes. O fêmur é comprido, propiciando joelhos bem angulados. A perna de trás é longa, seca e bem musculada. Metatarsos são curtos, largos e de grande potência.  Quintos dedos, se houverem, são removidos.  Pés como os da frente, exceto, que os pés de trás são, um pouco mais alongados.

 Pelagem 

O KUVACZ tem uma pelagem dupla formada por pelo externo e subpelo - vai desde um tanto ondulada até reta. A distribuição segue um padrão definido sobre o corpo tendo em conta o tipo da pelagem. A cabeça, focinho, orelhas e pés são cobertos por pêlos curtos e lisos. O pescoço tem uma juba que se estende até o antepeito, cobrindo-o. A pelagem da frente: dos anteriores - acima dos cotovelos, e dos posteriores - abaixo das coxas, é curta e lisa. A parte de trás dos anteriores é franjada até o carpo com pêlos de 5cm a 7,5cm de comprimento. O corpo e os lados das coxas são co¬bertos por pêlos de comprimento médio. A parte de trás das coxas e toda a cauda são cobertos com pêlos de 10cm  a 15,5cm . Durante a estação quente é natural que o KUVACZ perca a maior parte dos pêlos longos. Pelagem completa, luxuriante, dependendo do clima chega de acordo com a estação. Pelagem de verão não deve ser pe¬nalizada.

 Cor  

Branca. A pele é intensamente pigmentada. A pigmentação quanto mais cinza-ardósia, ou preta, melhor.  Desqualificações - Qualquer outra cor que branco.

 Movimentação 

Fácil, livre e elástica. Os pés movem-se junto ao chão. Os posteriores alcançam  longe bem embaixo, encontrando ou mesmo passando as pegadas dos anteriores. Movendo-se em direção a um observador, as pernas da frente não se movem paralelas uma à outra, porém, terminam, relativamente, juntas próximo ao chão. Quando vistos por trás, os posteriores (da junta da garupa para baixo) também se movem juntos próximos ao chão. A medida em que a velocidade aumenta as pernas, gradualmente, se inclinam mais para dentro enquanto que os pés deixam, quase, rastros únicos ("single tracking").  A cabeça é portada, razoavelmente baixa, ao nível dos ombros, a menos que esteja excitado. A movimentação desejável não pode ser mantida sem angulações suficientes e corpo esbelto.

Temperamento 

Um cão animado, de inteligência aguda, determinação, coragem e curiosidade. Muito sensível ao elogio ou à repreensão. Primordialmente um cão de casa. Devotado, gentil e paciente sem que o demonstre abertamente. Sempre pronto para defender os que ama até, mesmo ao ponto, do auto sacrifício. Instinto, extremamente, forte de proteger crianças. Polido ao aceitar estranhos, mas ao mesmo tempo, desconfiado; e muito discriminativo ao fazer novos amigos. Guarda excepcional, possuindo a faculdade de agir por iniciativa própria , exatamente no momento certo e sem instruções. Valente, corajoso e destemido. Habilidade incansável para trabalhar por longos períodos de tempo e cobrir terrenos aciden¬tados. Tem bom faro e foi empregado no esporte da caça.

 DESQUALIFICAÇÕES 

 - Retrognatismo. Prognatismo.

- Machos menores do que 66cm . Fêmeas menores do que 61cm.

- Qualquer outra cor que não seja branco.

 

 

 

 

MASTIFF INGLÊS

 

 

Padrão Oficial do Mastim Inglês (Mastiff)

 

Aparência Geral

O MASTIM INGLÊS é um cão grande, maciço, simétrico com um corpo bem formado. A impressão é a de grandeza e dignidade. Os machos são inteiramente mais pesados do que as fêmeas. As fêmeas não devem ser penalizadas por serem um pouco menores em todas as dimensões conquanto mantenham a estrutura proporcionalmente podero¬sa. Uma boa avaliação considera as qualidades de tipo e robustez com igual peso.

 Tamanho, Proporção, Substância

Tamanho 

Machos com um mínimo de 76cm  na cernelha. Fêmeas com um mínimo de 70 cm  na cernelha. FALTA - Machos e fêmeas abaixo do mínimo do padrão. O quanto mais abaixo  do mínimo do padrão maior a falta.

Proporção

Retangular. O comprimento do cão do antepeito à nádega um tanto mais comprido do que a altura na cernelha. A altura do cão deve decorrer antes da profundidade do corpo do que do comprimento das pernas. 

Substância

Maciço, de ossatura pesada com poderosa estrutura muscular. Dese¬jável grande profundidade e largura. FALTAS falta de substância ou costelas chatas.

 

Cabeça

No perfil geral dando uma aparência maciça quando vista de qual¬quer ângulo. Largura é altamente desejável. Os olhos inseridos muito afastados, de tamanho médio e nunca muito proeminentes. A expressão alerta mais gentil. Cor dos olhos marrom, o mais escuro melhor não aparecendo a terceira pálpebra. Olhos claros ou a expressão de predador é altamente indesejável. Orelhas pequenas em proporção com o crânio, em formato de "V" , arredondadas nas pon¬tas. Couro moderadamente fino, colocadas bem afastadas no ponto mais alto das laterais do crânio continuando o perfil de lado a lado do topo do crânio. Elas devem ficar junto às bochechas quando em repouso. Orelhas de coloração escura, quanto mais pretas melhor, em conformação com a cor do focinho.  Crânio largo e um tanto achatado entre as orelhas, testa ligeiramente curva, apresentando rugas que são particularmente visíveis quando em atenção. Sobrancelhas (rebordos orbitários) moderadamente eleva¬dos. Músculos das têmporas bem desenvolvidos em função dos arcos zigomáticos extremamente poderosos. O arco, de lado a lado, do crânio é uma curva achatada com um sulco estendendo-se para cima no centro da testa. Ele se estende desde entre os olhos até a me¬tade do crânio. O stop entre os olhos é bem marcado mas não muito abrupto. O focinho deve ter a metade do comprimento do crânio dividindo desta maneira a cabeça em três partes - uma para o fo¬cinho e duas para o crânio. Em outras palavras, a distância da ponta do nariz ao stop é igual à metade da distância entre o stop e o occipital. A circunferência do focinho (medida a meio caminho entre os olhos e do nariz) em relação à da cabeça (medida na frente das orelhas) é de 3 para 5. O focinho é curto largo abaixo dos olhos e prosseguindo aproximadamente na mesma largura até o fim do nariz. Truncado, isto é, rombudo e de talhe quadrado for¬mando um ângulo reto com a linha superior do focinho. De grande profundidade da ponta do nariz até a mandíbula.  A mandíbula é de terminação larga e ligeiramente arredondada. Focinho de coloração escura,  quanto mais preto melhor. FALTA - Afilamento do focinho.  Nariz largo e sempre de cor escura, quanto mais preto melhor, com narinas expandidas e achatadas no perfil (nem pontudo nem arrebitado). Lábios divergindo em ângulos obtusos com o septo e suficientemente pendurados até o ponto de apresentar um perfil quadrado modificado. Dentes caninos saudáveis e bem afastados. Maxilas poderosas. Mordedura em tesoura preferível, porém, moderadamente prógnata não deve ser penalizado, contanto que os dentes não se¬jam visíveis quando a boca está fechada.

 

Pescoço, Linha Superior, Corpo

Pescoço poderoso, muito musculoso, ligeiramente arqueado e de comprimento médio. O pescoço aumenta de circunferência gradual¬mente a medida que se aproxima do ombro. Pescoço moderadamente "seco" ( não apresentando excesso de pele solta).

Linha Superior

De perfil a linha superior deve ser reta, em nível e firme nem selada, carpeada ou caindo bruscamente para trás do ponto mais alto da garupa. Tórax largo, profundo, arredondado e bem descido por entre as pernas, estendendo-se a menos até o cotovelo. Antepeito deve ser profundo e bem definido com o externo estendendo-se na frente da parte mais anterior do ombro. Costelas bem arredondadas. Costelas falsas profundas e colocadas bem para trás. Linha inferior Deve existir um razoável esgalgamento, porém não exagerado. Linha superior musculosa, poderosa e reta. Quando vista por trás deve ter um ligeiro arredondamento em cima da garupa. Lombos largos e musculosos. Cauda  inserida moderadamente alta e atingindo até os jarretes ou um pouco abaixo. Larga na raiz, e afinando em direção à ponta, pendendo reta em repouso, quando o cão está em movimento formando uma curva ligeira, porém nunca sobre a linha superior.

 Anteriores

Ombros moderadamente inclinados, poderosos e musculosos, sem tendência a serem soltos. O grau de angulação anterior combinando com a angulação posterior. Pernas retas, fortes e colocadas bem afastadas, ossatura pesada. Cotovelos paralelos ao corpo.  Metacarpos fortes e inclinados apenas ligeiramente. Pés grandes, redondos e compactos com dedos bem arqueados. Unhas pretas preferentemente.

Posteriores

Posteriores largos, amplos e musculosos. Pernas de trás bem desenvolvidas levando a uma junta do jarrete forte. Junta do joe¬lho moderadamente angulada, combinando com a frente. Os posterio¬res são bem afastados e paralelos quando vistos por trás. Quando a porção da perna abaixo do jarrete é corretamente "colocada para trás" e para perpendicular ao chão, uma linha de prumo baixada da parte mais posterior dos quartos traseiros deverá passar na frente do pé. Isto exclui jarretes retos já que a angulação do joelho varia de acordo com a angulação do jarrete, isto também exclui joelhos insuficientemente angulados. FALTA - Joelhos retos.

 Pelagem

O pelo externo é reto, rústico e de comprimento moderadamente curto. Sub-pelo denso, curto e acamado. A pelagem não deve ser tão longa de modo a produzir "franjas" no abdômen, cauda ou pos¬teriores. FALTA - Pelagem longa ou ondulada.

 Cor 

Baio, abricó ou tigrado. Tigrado deve ter baio ou abricó como cor de fundo que deve ser completamente coberta com estrias muito escuras. Focinho, orelhas e nariz devem ser de cor escura, quanto mais preto melhor, com uma cor similar ao redor das órbitas e estendendo-se para cima por entre elas. Uma pequena mancha branca no antepeito é permitida. FALTAS Branco excessivo no peito ou branco em qualquer outra parte do corpo. Máscara, orelhas ou nariz com falta de pigmento escuro.

 Movimentação

A movimentação denota força e vigor. As pernas de trás devem ter impulsão, enquanto os anteriores devem seguir o rastro suavemen¬te; à medida em que a velocidade do cão aumenta do passo para o trote os pés se movem em direção à linha central do corpo para manter o balanceamento.

 Temperamento

Uma combinação de grandeza e boa natureza, coragem e docilidade. Dignidade é preferível à alegria, é a conduta correta do MASTIFF. Os juizes não devem perdoar covardia ou agressividade. Em contra¬partida, os juizes devem ser também tomar cuidado de não premiar a ostentação.

 

 

MASTIM NAPOLITANO

 

 Padrão Oficial do Mastim Napolitano

 

Aparência Geral

Uma raça antiga redescoberta na Itália nos anos 40, o MASTIM NA¬POLITANO é um cão de ossos pesados, compacto, que inspira assombro, criado com o propósito de ser um guardião e um defensor in¬superável das pessoas e propriedade. Ele caracteriza-se por sua pele solta, que é abundante em todo o corpo, especialmente na cabeça, onde forma rugas abundantes e dobras pendentes e no pes¬coço onde forma uma papada. A essência do NAPOLITANO é a sua apa¬rência única e as emoções que seu tamanho enorme, cabeça grotesca e atitude imponente inspiram nos espectadores. Sua sólida subs¬tância é a causa da sua movimentação característica, que é bambo-leante e pesada, mais parecida com a de um urso que a de um cão.

DESQUALICAÇÕES 

Ausência de rugas, dobras, papada e falta de substância.

 Tamanho, Proporção, Substância

Um tipo fixado de cão com ossos grandes e pesados, de proporção retangular, 10 a 15 por cento mais comprido que sua altura na cernelha. Altura - machos de 66 a 76cm , fêmeas de 61cm a 71cm , com 2,5cm  de tolerância. Peso mínimo dos cães 59 kg (130 libras); cadelas 50 kg (110 libras); porém uma mas¬sa maior é comum e preferível tanto quanto a manutenção de uma aparência harmoniosa.

 Cabeça

Muito grande em comparação ao corpo. Diferenciada das outras raças de Molossos, por rugas mais excessivas e lábios longos que se misturam na ampla papada. Os planos superiores do crânio e foci¬nho devem ser paralelos. A cara é formada por rugas e pregas pe¬sadas e deve ter presentes dobras que se estendem  da borda late¬ral das pálpebras para a papada, e abaixo das pálpebras inferio¬res para as comissuras laterais dos lábios.

DESQUALIFICAÇÕES - Acentuada convergência, ou divergência, entre os planos superiores do crânio e do focinho. Ausência de rugas, pregas ou papadas. Expressão - Melancólico em repouso, intimidador quando alerta. Olhar fixo penetrante. Olhos colocados bastante separados e profundos. Pálpebras superiores caem sobre os olhos e as inferiores pendem para revelarem a terceira pálpebra. Cor - A mesma da pelagem porém mais clara. Pigmentação dos bordos das pálpebras igual a cor da pelagem 

DESQUALIFICAÇÕES - Olhos azuis celestes. Olhos vesgos. Despigmentação total do bordo das pálpebras. Orelhas - Podem ser cortadas ou íntegras. Se íntegras elas são de formato triangular bem acima dos arcos zigomáticos, um pouco levantadas da cabeça, e então caem abruptamente mantendo-se coladas às bochechas e não se estendendo além do limite inferior da garganta. Crânio - Largo, achatado entre as orelhas, levemente arqueado na parte frontal, e coberto por pele enrugada. A largura do crânio entre os arcos zigomáticos é aproximadamente igual ao seu comprimento do occipi¬tal ao stop. A Testa é muito desenvolvida. Sulco naso-frontal marcado. Occipital apenas aparente. Stop - Muito definido.  Nariz - Grande com narinas bem abertas e na mesma cor da pelagem. Uma extensão da linha superior do focinho, o nariz não deve projetar-se adiante nem estar recuado para trás do plano vertical anterior dos lábios. Focinho - Seu comprimento é um terço do comprimento total da cabeça. Sua largura é quase a mesma que o comprimento. As paredes laterais são paralelas, assim como a da  frente, o focinho é "quadrado" . A linha superior do focinho, do stop à ponta do nariz é reta, mas o perfil é arqueado devido a pesada pele enrugada que o cobre.

DESQUALIFICAÇÃO Linha superior do focinho convexa ou côncava, ou muito aquilino. Lábios pesados, grossos e compridos, os lábios superiores, vistos de frente, fazem em seu ponto de junção um "V" invertido. A borda lateral inferior focinho é formada pelos lá¬bios superiores, e a porção mais inferior dessa borda é formada pela comissura dos lábios. Neste ponto, o canto é virado para fora para mostrar a mucosa, e está alinhado com o canto externo do olho. Mordedura - Os dentes devem ser brancos, propriamente desenvolvidos e de preferência completos em número. Mordedura em tesoura ou torquês é padrão. Ligeiro prognatismo é permitido. FALTA SEVERA prognatismo pronunciado que interrompa o perfil do pla¬no anterior do focinho. DESQUALIFICAÇÃO - Retrognatismo, exceto nos filhotes.

 Pescoço, Linha Superior e Corpo

Pescoço - Levemente arqueado, bastante curto,, de formato cônico e bem musculoso. A pele sob o pescoço forma uma barbela bem divi¬da que se estende da mandíbula para o meio do pescoço

 DESQUALIFICAÇÃO - Ausência de barbela.

Corpo - O comprimento é 10 a 15 por cento maior do que a altura do cão na cernelha. O tórax é amplo com costelas longas e bem arqueadas. Peito - Largo, a largura sendo igual a cerca da metade da altura do cão. Os músculos peitorais são bem desenvolvidos. A ponta do esterno é em nível com a ponta da junta do ombro. Linha inferior e esgalgamento- A linha ventral do abdômen é praticamen¬te horizontal. Dorso - Largo. A cernelhas são largas e longas mal e mal elevando-se da linha superior do dorso.  Lombo bem musculoso e harmoniosamente ligado ao dorso.  Garupa - Larga, forte, bem musculosa e inclinada num ângulo de 30 graus. A parte superior da garupa eleva-se ligeiramente acima do seu ponto de engate na área lombar.  Cauda - Inserida ligeiramente abaixo da linha superior, larga e grossa na raiz, afinando gradualmente em direção à ponta. Cortada para ficar com dois terços do comprimento natural no nas¬cimento, ela se estende cerca de dois terços da raiz à ponta do jarrete. Em repouso, a cauda cai curvando-se em um ligeiro "S" . Quando em movimentação ela se eleva para a horizontal ou um pouco mais alta do que a linha superior. FALTA SEVERA - Cauda portada reta para cima ou curvada sobre a linha superior.

DESQUALIFICAÇÃO - Cauda curta quer congênita, ou artificial.

 Anteriores

Ombros - Longos, bem musculosos, inclinados e poderosos. Braço - Fortemente musculoso, de comprimento cerca de um terço da altura do cão. Cotovelos Cobertos com pele abundante e solta; mantidos paralelos às paredes do tórax. Pernas da Frente - Construídas de ossos pesados e musculatura bem desenvolvida, elas tem cerca do mesmo comprimento do braço. Mantidas a prumo.  Metacarpos - Grossos e achatados da frente para trás inclinando-se para a frente em um ângulo de 70 a 75 graus em relação à perna. Quintos dedos - Os quintos dedos da frente não são removidos. Pés Redondos e visivelmente grandes com dedos fortes arqueados. As almofadas dos 

pés resistentes, duras e de coloração escura. Unhas fortes, curvada e de cor escura. Pés ligeiramente virados para fora são aceitáveis. 

 Posteriores

Como um todo, eles devem ser poderosos e fortes, em proporção ao estilo de corpo do cão.  Coxas - Cerca do mesmo comprimento das pernas da frente e consiste de músculos bem delineados, grandes e protrusos. Joelhos - Suficientemente angulados a fim  de produzir integridade estrutural. Pernas - Construídas de ossos grossos e pesados e coberta por uma bem delineada musculatura. Ligeiramente mais curta do que os ossos da coxa. Jarretes - Poderosos e compridos, suficientemente angulados para produzi integridade estru¬tural. Metatarso (quartilha de trás) Construídos de ossos  pesados, de formato cilíndrico. De uma maneira ideal mantidos a prumo. Quintos dedos de trás - Qualquer quinto dedos deve ser remo¬vido. Pés de trás - O mesmo que os pés da frente, porém ligeira¬mente menores.

Pelagem

Pelos curtos e ásperos; a pelagem densa e de comprimento e lisura uniforme sobre todo o corpo, não excedendo a 2 cm. É preci¬so que não haja nenhum traço de franjas em qualquer lugar.

 Cor

Aceitas são as pelagens sólidas de cinza(azul), preto, mogno e fulvo, e matizes mais claros ou mais escuros dessas cores.  Todas as cores podem ser tigrado reverso. Pode haver marcas brancas no antepeito e nos dedos.

DESQUALIFICAÇÃO - Marcas brancas na cabeça. Extensas marcas brancas.

 Movimentação

A movimentação é uma característica única da raça. O andar é ágil e ondulante igual ao de um leão. Nas andaduras mais rápidas é mais arrastado como o de um urso. As passadas são lentas e não animadas, mas poderosas, caracterizadas por uma forte impulsão dos posteriores e moderada extensão das pernas da frente. Andaduras normais são passo, trote, galope e marcha. Marchar na pista não é para ser penalizado. Ligeiro pisar com a almofada dos pés da frente é normal. Quando o cão está se movimentando o porte da cabeça não é alto, mas em nível com o plano horizontal da linha superior.

 Temperamento

O MASTIM NAPOLITANO é útil e leal a seu dono não agressivo a ponto de morder sem razão. Como um protetor da sua propriedade e pessoa, ele está sempre atento e não gosta de intromissão de estranhos em seu espaço pessoal. Sua atitude é calma ainda que cau¬telosa. Nas pistas ele é majestoso e poderoso, mas não pomposo.

FALTAS - A descrição anterior é a de um MASTIM NAPOLITANO ideal. Todo o desvio do descrito acima deve ser penalizado de na medida da extensão do desvio.

 DESQUALIFICAÇÕES 

• Marcada convergência, ou divergência, dos planos longitudinais do topo do crânio e do topo do focinho; eles devem ser para¬lelos.

•Cana nasal côncava ou convexa, ou muito aquilina.

•Ausência de rugas, dobras ou barbelas.

• Falta de substância.

• Retrognatismo, exceto nos filhotes.

•Despigmentação total do nariz.

• Despigmentação total das pálpebras.

•Olhos azuis celestes.

•Olhos vesgos.

•Cauda curta seja congênita ou artificial.

• Marcas brancas na cabeça.

• Extensas marcas brancas.

 

 

ROTTWEILER

 

 

 Padrão oficial do Rottweiler

 

Aparência Geral

O ROTTWEILER ideal é um cão de tamanho médio para grande, robusto e poderoso; preto com marcação ferrugem claramente definida. Sua construção compacta e substanciosa denotas grande força, agilida¬de e resistência. Os machos são caracteristicamente mais pesados em toda a parte  do que as fêmeas com esqueleto maior e ossatura mais pesada. As fêmeas  claramente femininas mas sem fragilidade de substância ou de estrutura.

 Tamanho, Proporção e Substância

Machos de 61 cm a 68,5 cm . Fêmeas de 56 cm a 63,5 cm  com o meio termo do tamanho sendo preferido para cada sexo. Proporção correta é de primordial importância, contanto que o tamanho esteja dentro da extensão do padrão. O comprimento do corpo da ponta do esterno até a projeção mais posterior da garupa, é ligeiramente maior que a altura do cão na cernelha, a proporção mais desejável da altura em relação ao comprimento sendo de 9 para 10. O ROTTWEILER não é nem grosseiro nem estreito com corpo pouco profundo faltando ossatura em relação ao tamanho. A profundidade do tórax é aproximadamente 50% da altura do cão seus ossos e massa muscular devem ser suficientes para balancear sua construção, conferindo uma aparência compacta e muito poderosa.

FALTAS SÉRIAS

Falta de proporção, abaixo do tamanho, inversão das características sexuais (machos afeminados e fêmeas masculinizadas).

 Cabeça

De comprimento médio, larga entre as orelhas; a linha da testa vista de perfil é moderadamente arqueada; o arco zigomático e o stop bem desenvolvido com maxilar superior e mandíbula fortes e largos. A proporção desejada entre o crânio e o focinho é 3 para 2. Testa seca é preferida, entretanto algumas rugas podem ocorrer quando o cão está alerta.

Expressão

A expressão é nobre, alerta e auto confiante.

Olhos

Olhos de tamanho médio, em formato de amêndoa com pálpebras bem ajustadas, de inserção moderadamente profunda, nem protrusos nem afundados. A cor desejável é um marrom-escuro uniforme.

FALTAS SÉRIAS

Olhos amarelos (olhos de rapina), olhos de cor ou tamanho diferentes, pálpebras sem cílios.

DESQUALIFICAÇÃO - Entrópio ou Ectrópio.

Orelhas

Orelhas de tamanho médio, pendentes, de formato triangular; quando portadas em atenção as orelhas estão em nível com o topo do crânio e aparentam alargá-lo. As orelhas devem estar inseridas bem afastadas com o bordo interno situado firmemente contra a cabeça e terminando aproximadamente no meio do arco zigomático.

FALTAS SÉRIAS - Porte impróprio (com pregas ou mantida para fora da cabeça e arco zigomático.

 Focinho

A cana nasal é reta, larga na base afinando ligeiramente em direção à ponta. A terminação do focinho é larga com queixo bem desenvolvido. O nariz é largo, um tanto arredondado e sempre preto. Lábios - Sempre pretos, comissuras fechadas; é preferível que o pigmento interno da boca seja escuro.

FALTAS SÉRIAS - Falta total de pigmentação na boca (boca cor de rosa).

Mordedura e Dentição

Dentes em número de 42 (20 em cima e 22 em baixo) fortes, situa¬dos corretamente e encontrando-se numa mordedura em tesoura - incisivos inferiores tocando a face interna dos incisivos superiores.

FALTAS SÉRIAS - Mordedura em torquês qualquer dente perdido.

DESQUALIFICAÇÕES -  Retrognatismo, prognatismo (quando os incisivos não se tocam ou se entrosam); boca torta; falta de dois ou mais dentes.

 Pescoço, Linha Superior e Corpo

Pescoço

Poderoso, bem musculoso, moderadamente longo, ligeiramente arqueado e sem pele solta.

Linha Superior

A linha superior é firme e em nível estendendo-se em uma linha reta desde atrás da cernelha até a garupa. A linha superior permanece horizontal ao chão enquanto o cão se move ou fica parado.

Corpo

O tórax é espaçoso, largo e profundo, atingindo o cotovelo, com antepeito bem pronunciado e costelas ovais bem arqueadas. O dorso é reto e forte. O lombo é curto, profundo e bem musculoso. A garupa é larga de comprimento médio e apenas ligeiramente inclinado. A linha inferior de um ROTTWEILER maduro é ligeiramente esgalgada. Os machos deverão ter os dois testículos normais apropriadamente descidos no escroto.

DESQUALIFICAÇÃO - Machos com criptorquidia unilateral ou criptor¬quidia.

 Cauda

Cauda cortada curta, junto ao corpo, deixando-se uma ou duas vértebras. A inserção da cauda é mais importante do que o comprimento. Apropriadamente inserida ela dá a impressão de um prolongamento da linha superior; portada ligeiramente acima da horizontal quando o cão está excitado ou em movimentação.

 Anteriores

A escápula é comprida e bem inclinada para trás. O braço de igual comprimento que a escápula, colocando assim os cotovelos bem embaixo do corpo. As distâncias da cernelha ao cotovelo e a do cotovelo ao chão são iguais. As pernas são fortemente desenvolvidas com ossos retos e pesados, e não estão colocadas muito juntas. Os metacarpos são fortes, elásticos e quase perpendiculares ao solo.  Pés são redondos e compactos com dedos bem arqueados, não se virando nem para dentro nem para fora. As almofadas plan¬tares são grossas e duras. As unhas curtas, fortes e pretas. Quintos dedos podem ser removidos.

  Posteriores

Angulações posteriores balanceadas com a dos anteriores. A coxa é razoavelmente longa, muito larga e bem musculosa. A junta do joelho é bem torneada. A perna de trás é longa, larga e vigorosa com a ampla musculatura chegando até a forte junta do jarrete. Os  jarretes são quase perpendiculares ao chão. Vistos por trás os posteriores são retos e afastados o bastante separados para ajustarem-se a construção corpórea  apropriada. Os pés  são um tanto mais longos do que os pés da frente, não se virando nem para dentro nem para fora, igualmente compactos com dedos bem arqueados. As almofadas plantares são grossas e duras. As unhas curtas, fortes e pretas. Quintos dedos devem ser removidos.                                                                                       

 Pelagem

O pelo externo é reto, rústico, denso, de comprimento médio e acamado. O sub-pelo deve estar presente no pescoço e coxas, porém a quantidade é influenciada pelas condições climáticas. O sub-pelo não deve aparecer através do pelo externo. O pelo é mais curto na cabeça, orelhas e pernas, e mais comprido nos culotes. O ROTTWEI¬LER é para ser exposto em condições naturais, sem nenhum corte (trimming).

FALTA - Pelo ondulado.

FALTA SÉRIA - Pelo aberto, excessivamente curto ou crespo; falta total de sub-pelo; quaisquer cortes que alterem o comprimento na¬tural do pelo. 

DESQUALIFICAÇÃO - Pelo longo.

Cor

Sempre preto com marcas de ferrugem à mogno. A demarcação entre o preto e o ferrugem deve ser claramente definido. As marcas devem se localizar como segue: uma mancha sobre cada olho; nas bochechas; como uma faixa junto cada lado do focinho mas não sobre a cana nasal; na garganta; marca triangular em ambos os lados da ponta do esterno; nas pernas da frente do carpo para baixo até os dedos; na parte interna das pernas de trás aparecendo na frente do joelho e se alargando para fora nas pernas de trás dos jarretes aos dedos, mas não eliminando completamente o preto nos jarretes; abaixo da cauda; marcas de lápis pretas sobre os dedos. O sub-pelo é cinza, canela ou preto. Quantidade e localização das marcas ferrugem são importantes; elas não devem exceder 10% da cor do corpo.

FALTAS SÉRIAS - Marcas cor de palha, excessivas, insuficientes ou fuliginosas; marcas ferrugem outras que as descritas acima; mar¬cas brancas situadas em qualquer local (alguns pelos ferrugem ou brancos não constituem uma marca).

DESQUALIFICAÇÕES - Qualquer cor básica que não o preto; ausência de qualquer marca.

 Movimentação

O ROTTWEILER é um trotador. Sua movimentação deve ser balanceada, harmoniosa, segura, poderosa e desembaraçada, com um potente alcance anterior e uma poderosa propulsão posterior. A locomoção é sem esforço, eficiente e com boa cobertura de solo. As 

pernas da frente e de trás não se torcem nem para dentro nem para fora e as marcas deixadas pelos pés de trás devem tocar as dos pés da fren¬te e os posteriores são reciprocamente coordenados enquanto a linha superior permanece em nível, firme e relativamente imóvel. à medida em que a velocidade aumenta as pernas vão convergindo para baixo do corpo em direção à  linha central.

 Temperamento

O ROTTWEILER é basicamente um cão calmo, confiante e corajoso com uma autoconfiança indiferente que não o leva a imediatas e in¬discriminadas amizades. Um ROTTWEILER é autoconfiante e reage pacientemente e com uma atitude de "deixe estar para ver como fica"  em relação a influências no seu ambiente. Ele possui um desejo inato de proteger a casa e a família, e é um cão inteligente de extrema firmeza e adaptabilidade com um forte disposição para o trabalho fazendo-o especialmente ajustado como um cão de companhia, guardião e para todos os propósitos em geral. O comportamento do  ROTTWEILER nas pistas de exposição deve ser controlado, ajustado e adaptável, treinado para se submeter ao exame da boca, testículos, etc. Um cão indiferente ou reservado não deve ser penalizado porque isto reflete o reconhecido caráter da raça. Uma atitude agressiva ou beligerante em relação a outros cães não deve ser penalizada. O árbitro deve excluir da pista qualquer ROTTWEILER assustado. Um cão deve ser julgado fundamentalmente assustado se, recusar a ficar parado para exame, escolhe-se para longe do árbitro. Um cão que na opinião do árbitro ameaça ou intimida ele ou ela, ou apresenta qualquer sinal que possa não ga¬rantir uma aproximação amistosa ou o exame pelo árbitro da manei¬ra normal, deve ser excluído da pista. Um cão que, na opinião do juiz ataque qualquer pessoa na pista deve ser desqualificado.

 

Sumário   

FALTAS - O anterior é a descrição do ROTTWEILLER  ideal. Qualquer falta estrutural que destoe do cão de trabalho acima descrito deve ser penalizado de acordo com a descrição do desvio.

 

DESQUALIFICAÇÕES

 

• - Entrópio, ectrópio;

•- retrognatismo ou prognatismo (quando os incisivos não se tocam ou se entrelaçam), boca torta, falta de dois ou mais dentes;

•-  machos com criptorquidia unilateral ou bilateral;

•-  pelo longo;

•-  qualquer outra cor básica que não preto ausência;

•- ausência de todas as marcas;

•- um cão que na opinião do árbitro ataque qualquer pessoa na pista. 

 

 

 

 

 

SCHNAUZER GIGANTE

 

 Padrão Oficial do Schnauzer Gigante

 

Descrição  Geral

O SCHNAUZER GIGANTE deve se assemelhar, o mais possível, em aparência geral, a uma versão maior e mais poderosa do Schnauzer Standard; no todo uma estampa de um cão audacioso e valente. Robusto, fortemente construído, quase quadrado na proporção do comprimento do corpo e a altura na cernelha, ativo, forte e bem musculoso. Temperamento que combina espírito, vivacidade com inteligência e confiabilidade. Equilibrado, vigilante, corajoso, facil¬mente adestrável, profundamente leal à família, brincalhão afável em repouso e uma figura imponente quando em atenção. O tempera¬mento compreensivo, fiel, a construção vigorosa e a densa pelagem de textura de arame e resistente à água, fazem desta uma das ra¬ças de trabalho mais poderosas, úteis e resistentes.

 

Cabeça

Forte, de aparência retangular e alongada; estreitando-se ligei¬ramente das orelhas para os olhos, e novamente dos olhos para a ponta do nariz. O comprimento da cabeça é de cerca da metade do comprimento total da linha superior (da cernelha à inserção da cauda). A cabeça define o sexo e a substância do cão. A linha da cana nasal é paralela à linha superior do crânio; há um ligeiro stop que é acentuado pelas sobrancelhas. Crânio  (do occipital ao Stop) - Moderadamente largo entre as orelhas; occipital não muito proeminente. Linha superior do crânio chata; pele sem rugas. Ar-cos Zigomáticos - Planos, mas com músculos mastigatórios bem desenvolvidos; não há nenhuma saliência nos arcos zigomáticos que prejudique a aparência retangular da cabeça (com barba). Focinho - Forte e bem cheio sob os olhos; tanto paralelo, como de igual comprimento,  à linha superior; terminando em uma cunha moderadamente romba. O nariz é grande, preto e cheio. Os lábios são estirados e não pendentes, de cor preta. Mordedura - Uma dentição completa de dentes brancos e sadios (6/6 incisivos, 2/2 caninos, 8/8 premolares e 4/6 molares) com mordedura em tesoura. Os maxi¬lares superiores e a mandíbula são fortes e bem formados.

FALTAS DESQUALIFICANTES - Retrognatismo ou prognatismo. Orelhas  - Quando cortadas são idênticas em formato e comprimento com as pontas pontiagudas. estão em harmonia com a cabeça e não são de comprimento exagerado. São inseridas altas no crânio e são porta¬das com suas bordas internas perpendicularmente com  uma curvatura o mais leve possível ao longo das bordas externas. Quando sem corte as orelhas são em formato de "V", orelhas em botão, de com¬primento e espessura médios  inseridas altas e portadas bastante altas e rentes à cabeça. Olhos - Tamanho médio, marrons-escuros e inserção profunda. São de aparência oval e expressão aguda com as pálpebras ajustadas firmemente. A visão não é empanada nem os olhos são escondidos pelas sobrancelhas muito longas. Pescoço - Forte e bem arqueado, de comprimento moderado fundindo-se suavemente aos ombros e com a pele ajustada firmemente na garganta; em harmonia com o peso e a construção do cão.

Corpo

Compacto, substancioso, compacto e forte com grande força e agilidade. A altura no ponto mais alto da cernelha igual ao comprimento do corpo da ponta do esterno até a ponta do ísquio. A secção do lombo é bem desenvolvida, tão curta quanto possível para uma construção compacta.

 Anteriores

Os anteriores tem ombros chatos um tanto inclinados e cernelha alta. As pernas da frente são retas e verticais quando vistas por todos os lados com metacarpos fortes e boa ossatura. Elas são separadas por um peito, razoavelmente, profundo que impede uma frente comprimida. Os cotovelos são colocados junto ao corpo e apontam diretamente para trás. Tórax - De largura média, costelas bem arqueadas sem nenhuma tendência a costelas de barril; de secção transversal oval; de peito profundo. O esterno é claramente perceptível, com poderoso antepeito; o peito descendo ao menos até os cotovelos e ascendendo gradualmente em direção à traseira com o abdômen moderadamente esgalgado. As costelas se expandem gradualmente a partir da primeira costela no sentido de criar espaço para os cotovelos se moverem junto ao corpo.

 Ombros 

As laminas do ombro (escápulas) inclinadas são fortemente musculosas ainda que chatas. São bem inclinadas para trás, de forma que, de lado, as extremidades superiores arredondadas estão numa linha quase vertical acima dos cotovelos. Elas se inclinam bem para frente em direção ao ponto onde elas se juntam ao braço (úmero) formando o mais próximo possível de um ângulo. Esta angulação permite a máxima extensão para a frente dos anteriores sem embaraço ou esforço. Tanto a escápula como o úmero são longos permitindo profundidade de peito no esterno.

 Linha Superior

Curta, reta, forte e firme. 

 Cauda

A cauda é inserida moderadamente alta e portada alta quando em excitação. Ela deve ser amputada na segunda vértebra, ou não mais do que na terceira aproximadamente 4cm  a 8cm  de comprimento na maturi¬dade.

 Posteriores  

Os posteriores são fortemente musculosos em equilíbrio com os anteriores; as coxas são inclinadas e bem anguladas no joelho, com as pernas (tíbias) aproximadamente paralelas a uma extensão da linha superior do pescoço. As pernas da junta do jarrete até os pés são curtas, e perpendiculares ao chão quando o cão está parado naturalmente, e vistas por trás paralelas uma com a outra. Os posteriores não devem parecer carregados ou mais altos do que o ombro. Garupa cheia e ligeiramente arredondada.  Pés - Bem arqueados, compactos e como os de gato, não virando nem para dentro nem para fora, com almofadas plantares espessas, duras e unhas escuras. Quintos Dedos - Se houverem, nas pernas de trás, devem ser removidos; nos anteriores podem ser removidos.

 Movimentação  

O trote é a andadura na qual a movimentação é julgada. Livre, balanceado e vigoroso com bom alcance dos anteriores e boa força propulsora dos posteriores. As pernas de trás e da frente não se arremessam nem para dentro nem para fora. Quando movendo-se em trote rápido, um cão adequadamente construído deverá deixar ras¬tros únicos (single tracking). A linha superior permanece forte, firme e plana. 

 Pelagem

Dura, com textura de arame, muito densa, composta de um sub-pelo macio e um pelo externo áspero, que, quando visto no contrapelo permanece saliente na linha superior não ficando nem liso nem assentado. Pelo áspero na cabeça, barba e sobrancelhas, a marca registrada do SCHNAUZER. 

 Cor

Preto sólido ou sal e pimenta. Preto - Um preto realmente puro, uma pequena mancha branca no peito é permitida. Quaisquer outras marcas são desqualificantes. Sal e Pimenta - Pelo externo de uma combinação de pelos mesclados (branco com preto e preto com branco) e alguns pelos pretos e brancos aparentando cinza a uma distância curta. Ideal: um tom de cinza médio intensamente pigmenta¬do com sal e pimenta bem distribuído através da pelagem, e um sub-pelo cinza. Aceitável: todos os tons de sal e pimenta, desde o cinza aço escuro ao cinza prata. Todos os tons de pelagem tem uma máscara facial escura para enfatizar a expressão; a cor da másca¬ra a cor da máscara harmoniza-se com o matiz da pelagem do corpo. Sobrancelhas, barbas, bochechas, garganta, peito perna e embaixo da cauda são de coloração mais clara mas abrange o sal e pimenta. Quaisquer outras marcas devem desqualificar.

 Altura

No macho a altura na cernelha  é  65cm a 70cm  e da fêmea 60cm a 65cm  com as medidas médias sendo preferidas. O tamanho sozinho não deve prevalecer sobre o tipo, balanceamento, constituição robusta e temperamento. Deve-se notar que cães muito pequenos, geralmente, são deficientes em força e cães muito grandes em agilidade e mobilidade desejáveis em um cão de trabalho.  

 Faltas

A descrição acima é a de um SCHNAUZER GIGANTE ideal. Qualquer desvio do cão acima descrito deverá ser penalizado de acordo com a sua extensão. O árbitro deverá excluir da pista qualquer SCHNAUZER GIGANTE tímido ou agressivo.

TIMIDEZ- Um cão deve ser julgado fundamentalmente tímido quando se recusa a ficar parado para ser examinado, ou se repetidas vezes se retrai para longe do árbitro; se, sem razão, demonstra medo a qualquer aproximação vinda por trás; se fica intimidade, em grau acentuado com ruídos súbitos e inusitados.` AGRESSIVIDADE um cão que ataca ou tenta atacar o árbitro ou o seu apresentador é definitivamente agressivo. Uma atitude agressiva ou beligerante em relação a outros cães não deve ser considerada agressividade.

  DESQUALIFICAÇÕES

 

- Prognatismo ou retrognatismo;

- Quaisquer outras marcas que as especificadas;

- Timidez;

- Agressividade.

 

 

SCHNAUZER STARDARD

 

 Padrão oficial do Schnauzer Standard

 

Aparência Geral

O SCHNAUZER STANDARD é um Cão robusto, de estrutura firme, vigorosamente construído com boa musculatura e boa quantidade de osso; de construção quadrada na proporção entre  o comprimento e a altura do corpo. Sua complexão robusta e pelagem dura densa é acentuada pela marca registrada da raça as sobrancelhas arqueadas e o bigode e a barba hirsutos. FALTA - Qualquer desvio que detrate a aparência geral do SCHNAUZER STANDARD desejável a de um Cão robusto, ativo, de construção quadrada e de pelagem dura. Qualquer desvio das especificações do Padrão deve ser considerado uma falta que deve ser penalizada na proporção da extensão do desvio.

 Tamanho, Proporção, Substância        

A altura ideal no ponto mais alto das escápulas é de 47 cm a 49,5 cm  para machos e 44,5 cm a 47 cm  para fêmeas. Cães medindo acima ou abaixo desses limites devem ser penalizados na proporção da extensão do desvio. Cães medindo mais do que 1,27 cm  acima ou abaixo desses limites deve ser desqualificado. A altura no ponto mais alto da cernelha igual ao comprimento do esterno até a ponta do ísquio.

 Cabeça

Cabeça      Forte, retangular e alongada; estreitando ligeiramente das orelhas para os olhos e de novo para a ponta do nariz. O comprimento total da cabeça é igual a cerca da metade da linha superior medida da cernelha à inserção da cauda. A cabeça combina com o sexo e substância do Cão. Expressão alerta, altamente inteligente, corajosa. Olhos de tamanho médio, marrons-escuros; de formato oval e voltados para a frente; nem redondos nem protrusos. A sobrancelha é arqueada e dura, mas a visão não é empanada nem os olhos ficam escondidos por sobrancelhas muito longas. Orelhas inseridas altas, de formato parelho com moderada dureza do couro e portadas eretas quando cortadas. Se sem cortar, elas são de tamanho médio, em formato de "V"  e móveis, deste modo estas são quebradas no nível do crânio e são portadas para a frente com o bordo interno junto às bochechas. FALTAS - Orelhas eretas ou orelhas de hound (orelhas pendentes). Crânio (do occipital até o stop) moderadamente largo entre as orelhas com a largura do crânio não excedendo dois terços (2/3) do comprimento do crânio. O crânio deve ser chato nem abaulado nem acidentado; a pele sem rugas. Há um ligeiro stop que é acentuado pelas sobrancelhas de arame. Focinho forte e ao mesmo tempo paralelo e do mesmo comprimento que o topo do crânio; ele termina em moderada cunha romba com barbas duras acentuando o formato retangular da cabeça. A linha superior do focinho é paralela com a linha superior do crânio. O nariz  é grande, preto e cheio. Os lábios devem ser pre¬tos, estirados e não se sobrepondo. Bochechas- Músculos mastigatórios bem desenvolvidos, mas não tanto que o ser bochechudo de forme o formato retangular da cabeça. Mordedura - Uma dentição completa de dentes brancos, com uma forte e saudável mordedura em tesoura. Os dentes caninos são fortes e bem desenvolvidos com os incisivos superiores ultrapassando ligeiramente e tocando os in¬feriores. O maxilar superior e a mandíbula são poderosos e sem retrognatismo ou prognatismo.(FALTAS - Uma mordedura em torquês é considerada uma falta porém menor do que uma boca retrognata ou prógnata).

Pescoço, Linha Superior, corpo

Pescoço forte, de moderada espessura e comprimento, elegantemente arqueado e misturando-se aos ombros de maneira limpa. A pele é esticada, acomodando-se firmemente à garganta seca sem rugas ou barbelas. A linha superior das costas não deve ser absolutamente horizontal, porém deve haver uma ligeira inclinação descendente da primeira vértebra da cernelha para a garupa fracamente curvada e a inserção da cauda. Dorso forte, firme reto e curto. Lombo bem desenvolvido, com a distância entre a última costela e a garupa o mais curta possível. Corpo compacto, forte, curto e substancioso até o ponto de permitir grande flexibilidade e agilidade. FALTAS - Muito fino ou de ossatura leve para o corpo ; muito volumoso ou grosseiro. Tórax de largura média com costelas bem arqueadas, e se pudesse ser visto em secção transversal devem ser oval. A ponta do esterno é claramente visível. O esterno deve descer ao me¬nos até o cotovelo e ascende gradualmente para trás com a barriga moderadamente recolhida. FALTA Esgalgamento excessivo. Garupa cheia e ligeiramente arredondada. Cauda inserida moderadamente alta e portada ereta. Ela é cortada em não menos que 2,5 cm  nem mais do que 5 cm .FALTA - Cauda de esquilo.

 Anteriores

Ombros - As escápulas inclinadas são fortemente musculosas, ainda que chatas e bem inclinadas para trás de forma que as terminações superiores arredondadas estão próximas a uma linha vertical acima dos cotovelos. Elas se inclinam bem para a frente até o ponto onde se juntam ao braço, formando, quando vistas de lado um ângulo o mais próximo possível do reto. Desta maneira a angulação permite o máximo de extensão dos anteriores para a frente, sem amarrar ou esforço. Pernas da frente retas, vertical e sem qualquer curvatura quando vistas de todos os lados; colocadas moderadamente bem afastadas, com ossatura pesada; cotovelos colocados junto ao corpo e apontando diretamente para trás.  Quintos dedos nos anteriores podem ser removidos.  Pés pequenos e compactos, redondos com almofadas grossas e fortes unhas pretas. Os dedos são bem juntos e arqueados (pés de gato) e apontam retos para a frente.

 Posteriores

Fortemente musculosos, em balanceamento com os anteriores, nunca aparentando serem mais altos do que os ombros. Coxas largas com joelhos bem angulados. A perna de trás, do joelho ao jarrete, é aproximadamente paralela com a extensão da linha superior do pes¬coço. As pernas, da claramente definida junta do jarrete até o pé, é curta e perpendicular ao chão, e quando vistas por trás paralela uma com a outra. Quintos dedos se houver algum, nas per¬nas de trás são geralmente removidos. Pés como os da frente.

 Pelagem

Compacta, rígida, dura e tão grossa quanto possível, composta de macio, e fechado sub-pelo e pelo externo áspero, que quando visto a contrapelo espeta-se para fora da linha superior, ficando assentada nem chata. pelo externo (pelagem do corpo) e tosado (por arrancamento) apenas para acentuar o perfil do corpo. Tanto quanto a textura da pelagem é da maior importância, um Cão deve ser considerado em "pelagem de exposição" (show coat) com os pelos das costas medindo de 2 cm a 5 cm de comprimento. O pelo das orelhas, cabeça, pescoço, antepeito, abdomens e abaixo da cauda devem ser cortados rente para dar a aparência desejável típica da raça. No focinho e sobre os olhos o pelo encomprida-se para formar a barba e sobrancelhas; o pelo das pernas e mais longo que o do corpo. Essas "franjas" devem ser de textura áspera e não devem ser tão profusas ao ponto de detratar a aparência asse¬ada ou a capacidade de trabalho do Cão. FALTAS - Macio, suave, encaracolado, ondulado ou com falta de sub-pelo; franjas excessivas; falta de franjas.

 Cor

Sal-e-pimenta ou preto puro. Sal e Pimenta - A típica cor sal-e-pimenta do manto resulta da combinação de pelos pretos e brancos, e de pelos brancos estriados com preto. São aceitáveis todos os matizes de sal-e-pimenta e cinza aço escuro a cinza prata. De uma maneira ideal o SCHNAUZER STANDARD sal-e-pimenta tem um sub-pelo cinza, mas um sub-pelo canela ou baio não é para ser penalizado. É desejável que haja uma máscara facial mais escura que se harmoniza com o matiz particular da cor da pelagem. Também, em cães sal-e-pimenta, a mistura sal-e-pimenta pode dissolver-se do cinza claro ou cinza esbranquiçado nas sobrancelhas, barbas, bochechas, abaixo da garganta, no antepeito, abaixo da cauda, nas franjas das pernas, abaixo do corpo e na parte interna das pernas. Preto - De uma maneira ideal o SCHNAUZER STANDARD preto deve ser de uma cor rica de fato, livre de qualquer empalidecimento ou descoloração ou qualquer mistura de pelos cinza ou canela. O sub-pelo deve ser também preto sólido. Todavia, com o aumento da idade ou a exposição ao sol podem causar uma certa quantidade de empalideci¬mento ou queimadura. Uma pequena mancha branca no antepeito não é uma falta. Perda de cor como resultado de cicatrizes por cortes ou mordidas não é uma falta.

FALTAS - Qualquer outra cor que não as especificadas, e qualquer matiz ou mistura dessas no pelo externo, tais como ferrugem, marrom, vermelho, amarelo ou canela; ausência de sal-e-pimenta; malhas ou estrias; uma listra preta sobre a linha superior, ou uma mancha preta sem a  típica cor sal-e-pimenta e pelos cinza na pelagem de um preto; em pretos qualquer outro sub-pelo que o preto.

 Movimentação

Vigorosa, forte, fácil, livre, precisa e uniforme com posteriores poderosos, bem angulados com grande alcance e cobertura de solo. Os anteriores alcançam em balanceamento com os posteriores. A trote, a linha superior permanece em nível, sem selar, oscilar ou arquear. Quando vistos por trás, os pés, ainda que possam aparentar andar juntos quando a trote, não devem se cruzar ou se choca-rem. O aumento da velocidade faz com que os pés convirjam em direção à linha central de gravidade. FALTAS - Caranguejar ou interferência entre os pés; pisar com a almofada, rebolar, selar; movimentação posterior curta, picada, rígida, saltitante; anteriores expulsos para fora ou para dentro (frente francesa em movimentação); andadura em hackney, cruzar ou chocar os anterio¬res ou posteriores.

 Temperamento

O SCHNAUZER STANDARD tem percepção altamente desenvolvida, inteligência, aptidão para treinamento, destemor, persistência e resistência contra intempéries e doenças. Sua natureza combina temperamento fogoso com extrema confiabilidade. FALTAS  - Ao ponderar a seriedade de uma falta, deve-se dar grande consideração aos desvios do desejável caráter alerta, alta inteligência, fogosida¬de e confiabilidade do SCHNAUZER STANDARD. Cães que são medrosos ou aparentam ser altamente nervosos devem ser altamente penaliza¬dos e postos para fora da pista. Cães agressivos devem ser des¬qualificados.

 

DESQUALIFICAÇÕES

 

•- Machos abaixo de 46 cm  ou acima de 51 cm. 

•- Fêmeas abaixo de 43 cm  ou acima de 48,5 cm.

•- Cães agressivos.

 

  

RELACIONADAS

9 Cuidados que Você Precisa ter

Cães Hounds

Cães de Caça a Tiro

Cães de Utilidade

Atendimento: 9h00 às 17h00
End: Av. Jabaquara, 301 - Sobreloja - Cep 04045-000- Mirandópolis - SP

Tel.: (11) 3256-0894 | 0800 - 113140 Whatzap 9 7803-2758
E-mail: acinologicadobrasil@gmail.com

Todos os direitos reservados: Associação Cinológica do Brasil

Desenvolvido por: